top of page
  • Foto do escritorCriativoJota

Revolução Digital: o Mito midiatizado do Bolsonarismo

Políticos têm mostrado que as mídias digitais se tornaram armas políticas. No caso de Jair Bolsonaro as redes sociais o ajudaram a transformar-se em “mito” digital.

 

Por Amanda Araújo, Lilian Morais e Ana Luiza Cardoso*.


Jair Messias Bolsonaro durante a Campanha Eleitoral de 2022 (Foto: Reprodução da Internet).

Recentemente Jair Messias Bolsonaro se tornou uma figura política relevante no país. Em 2017, o ‘mito’, como é conhecido por seus seguidores, começou a mostrar uma força política surpreendente. Utilizando humor ácido e falas preconceituosas para criar uma figura próxima e facilmente identificável em qualquer família brasileira, o ex-militar conquistou um curral eleitoral sobre pilares do conservadorismo eleitoral.

 

Junto com a ascensão de Jair, apareceu "o fenômeno "bolsonarismo", que não se trata apenas de um movimento político, mas de uma ideologia que reflete a profunda insatisfação de parcelas significativas da sociedade brasileira e transcende a figura de Jair Bolsonaro como indivíduo.

 

Sua retórica tem ressoado em eleitores cansados de políticos tradicionais e desiludidos com a situação econômica e social do país. Somando isso ao uso intensivo das redes sociais para contornar a mídia tradicional e alcançar diretamente sua base de apoio, Jair saiu de um “meme”, para o Palácio do Planalto.

 

Plataformas de Mídias

 

Uma das principais estratégias de Jair Bolsonaro para chegar à presidência foi utilizar as redes sociais para alcançar diretamente seu público-alvo, contornando os tradicionais canais de mídia. Enquanto seus oponentes dependiam fortemente da cobertura da imprensa, Bolsonaro se beneficiou de uma presença robusta nas plataformas digitais, como Facebook, Twitter, Instagram e YouTube, para se comunicar diretamente com os eleitores.

 

A abordagem utilizada, permitiu que Bolsonaro construísse uma imagem de proximidade com sua base de apoio, enquanto ao mesmo tempo alimentava a desconfiança em relação à mídia tradicional, que era frequentemente retratada como hostil e parcial.

Bolsonaro também utilizou as redes sociais para disseminar narrativas personalizadas, errôneas e muitas vezes falas – as chamadas Fake News.

 

Ultrapassando as orientações políticas e demográficas tradicionais, o político foi eleito Presidente da República. E representou um ponto de inflexão no cenário político global, demonstrando o poder e a influência das redes sociais na moldagem de resultados eleitorais. Sua campanha eficaz destacou a importância de uma presença forte e estratégica nas plataformas digitais, bem como as oportunidades e desafios associados ao uso das redes sociais como ferramenta política.

 

O fenômeno do bolsonarismo e a ascensão de Jair Bolsonaro ao status de "mito" representam um capítulo especial na história política do Brasil. Independentemente de seu legado ser positivo ou negativo, é inegável que ele deixou uma marca na política brasileira, desafiando as noções convencionais de poder e liderança.

 

O legado do Mito

 

Nikolas Ferreira e Jair Bolsonaro, conectando o bolsonarismo (Foto: Reprodução da Internet).

Apesar de Bolsonaro não ter sido reeleito, ele ainda exerce grande poder político. Um grande exemplo dessa influência, é seu rebento o Deputado Federal de Minas Gerais, Nikolas Ferreira. Conectado ao bolsonarismo, sua ascensão reflete o poder das novas formas de engajamento político na era digital.



 

A capacidade de Nikolas de mobilizar seguidores, disseminar mensagens equivocadas e influenciar debates políticos demonstra como indivíduos comuns podem desempenhar um papel significativo na formação da opinião pública e no processo político.

 


* Grupo 5. Conteúdo experimental produzido no escopo da disciplina JOR53 – Jornalismo Especializado I.

 

 

14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page