• Adriele Lima

Os recentes rastros da criminalidade em Roraima

Atualizado: Mar 19

O início do ano de 2021 marcou o estado de Roraima com cerca de 12 homicídios em pequenos intervalos de horas e dias. No entanto, esses números de casos não ultrapassam os dados disponibilizados pelo Núcleo de Estatística e Análise Criminal de Roraima (Neac) do ano de 2019, que teve 17 homicídios só em janeiro e 16 em fevereiro. Segundo o Neac, os dados de 2020 ainda não estão consolidados.


Entre esses casos do início deste ano, dois crimes chamaram a atenção por terem como vítimas imigrantes venezuelanos. Na manhã do dia 10 de fevereiro, por exemplo, o imigrante venezuelano identificado como Jeferson Jesus Tabata, de 26 anos, foi morto com disparos de arma de fogo no centro comercial Caxambú, localizado no Centro de Boa Vista. No mesmo dia, por volta das 17h da tarde, um homem também de origem venezuelana, mas sem identificação, foi morto a tiros no bairro Bela Vista.


Segundo o secretário de Segurança Pública Edison Prola, a criminalidade no estado reduziu muito, principalmente, após a presença da Força Nacional nos municípios e na Penitenciária Agrícola de Monte Cristo (Pamc). Mas os recentes casos se dão da união do crime organizado brasileiro com o da Venezuela.


“Alguns são mortos porque não vendem droga de determinada facção. Nós temos também [crimes registrados por] dívidas envolvendo agiotagem venezuelana”, disse Prola em uma entrevista para a rádio e outros meios de comunicação.
Algumas das noticias mais recentes sobre os crimes praticados em Roraima. (Imagem: Adriele Lima)

Porém não é possível ainda determinar que esse aumento esteja relacionado ao crescimento do crime organizado em Roraima. Como também, conforme o secretário, não é possível impedir que os imigrantes se aliem às facções ou que realizem pequenos crimes.


PEQUENOS CRIMES

Os roubos e furtos são os crimes mais comuns praticados no estado. Segundo dados da Polícia Militar de Roraima (PMRR), em 2018 a PM registrou 208 roubos e 211 furtos. Já em 2019, houve uma redução de quase 10% e 30%, respectivamente nos casos.


Alguns moradores de Boa Vista sempre se questionam sobre a criminalidade na capital e no estado, que para eles, não para de crescer.


O Elionai Melo é residente do loteamento Caburaí na capital. Ele conta que praticamente todos os moradores da redondeza já foram furtados ou assaltados, inclusive quando ainda estavam construindo suas casas. Os criminosos levaram várias portas, betoneiras, cimentos e demais materiais de construção. Elionai foi alvo de assaltantes quando saiu para passear.


“Eu saí para o Shopping com a minha família e quando voltei encontrei a minha casa toda arrombada. Levaram minha televisão, fogão, aparelho de som, dinheiro e tudo mais o que estavam no alcance deles”, relatou.

Um outro morador do Bairro Santa Tereza, que preferiu não se identificar, contou que teve sua moto furtada em frente de sua própria casa. Ele explicou que a moto estava estacionada (sozinha) e os assaltantes levaram. Vizinhos conseguiram filmar os suspeitos passando com a moto na rua logo após o ocorrido. A moto já foi localizada.



O ESTADO MAIS VIOLENTO

Em 2018 o estado de Roraima registrou a maior taxa de homicídios do país, segundo o 13º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, realizado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FNSP). Como também, na mesma pesquisa o estado tinha altos índices de homicídios de mulheres, negros e jovens.




Por Adriele Lima e Lauany Gonçalves

20 visualizações0 comentário