• Amazoom

30 anos da TI Yanomami: Seminário traz exposição fotográfica da devastação do garimpo

Atualizado: 9 de ago.

60 fotos divididas em 10 banners vão mostrar as atividades nas comunidades Yanomami sem e com a presença dos invasores.


Por: Evilene Paixão.

Lideranças Yanomami e Ye'kuana se manifestam contra garimpo em suas terras, durante o primeiro Fórum de Lideranças da TI Yanomami, realizado entre 20 e 23 de novembro de 2019 na Comunidade Watoriki, região do Demini, Terra Indígena Yanomami. Victor Moriyama / ISA.


Registros realizados em sobrevoos recentes pela Hutukara Associação Yanomami (HAY) das áreas devastadas pela invasão garimpeira dentro da Terra Indígena Yanomami estarão à mostra na Exposição Fotográfica “O Futuro É Indígena: 30 Anos Da Terra Yanomami”, durante a realização do Seminário que acontece nesta semana, dias 11 e 12 de agosto, a partir das 18h, na Sala de Cinema do Centro Amazônico de Fronteiras da Universidade Federal de Roraima (CAF/UFRR).


O público poderá conferir imagens impressionantes do desmatamento, assoreamento, poluição dos rios e igarapés. A presença dos garimpeiros em plena atividade ilegal, com seus maquinários, equipamentos, aviões, helicópteros, entre outros registros impactantes.


Promovido pelo Programa de Pós-graduação em Comunicação (PPGCOM) da UFRR, o Seminário e a Exposição Fotográfica pretendem colaborar com as organizações indígenas para dar visibilidade a estas questões, e como forma de denunciar esses crimes.

Canteiro de garimpo no Rio Novo, Apiaú, TIY. Bruno Kelly / HAY.


Por outro, a exposição fotográfica também vai mostrar a vida desses povos indígenas sem o garimpo. As festas tradicionais, os costumes, os trabalhos comunitários, as atividades realizadas pelo Instituto Socioambiental (ISA) junto as organizações indígenas, o manejo dos cogumelos e a produção dos chocolates Yanomami.


Além disso, vão estar expostas fotos da comemoração dos 30 anos do território, ocorrido em maio deste ano na comunidade Xihopi, região do Novo Demini.

Cogumelo Yanomami produzido pelas lideranças Sanöma, que fazem parte do povo Yanomami e habitam a região de Awaris. Terra Indígena Yanomami, Roraima. Daniel Tancredi / Platô Filmes / ISA.


O vice-presidente da Hutukara Associação Yanomami, Dário Vitório Kopenawa, disse que a Exposição é para mostrar a realidade do povo Yanomami. Como seu povo está sofrendo com a invasão garimpeira e a importância do apoio da sociedade roraimense para combater esse crime.

"São fotos da Hutukara com os nossos parceiros para demostrar a população de Roraima a nossa dor. A terra está sangrando e todos os Yanomami estão sofrendo com essa invasão da mineração" - Dário Kopenawa.

“Nós estamos sofrendo com o garimpo ilegal. Essas fotos são uma forma de acreditar no nosso sofrimento, acreditar no trabalho da Hutukara Associação Yanomami. Estamos passando por um momento muito violento, com destruição e o desmatamento do meio ambiente. São fotos da Hutukara com os nossos parceiros para demostrar a população de Roraima a nossa dor. A terra está sangrando e todos os Yanomami estão sofrendo com essa invasão da mineração”.


Ele ainda destacou que os registros também vão mostrar a luta e a resistência. “E vamos mostrar a nossa comemoração dos 30 anos, a nossa resistência, a nossa luta. Um momento de grande conquista da demarcação da Terra Yanomami. Deixamos registrados também para as futuras gerações. O público vai pode conferir todos esses registros como forma também de pedir apoio da sociedade local. Apoiar a nossa luta e de cuidar da mãe natureza”, disse Kopenawa.

"Deixamos registrados também para as futuras gerações. O público vai pode conferir todos esses registros como forma também de pedir apoio da sociedade local. Apoiar a nossa luta e de cuidar da mãe natureza" - Dário Kopenawa.

Pajés Yanomami realizam um ritual na Aldeia Xihopi. Terra Indígena Yanomami, no Estado do Amazonas.

Christian Braga / ISA.


Inscrição


Os interessados em participar do seminário dos 30 anos da Terra Indígena Yanomami devem realizar a pré-inscrição, preenchendo o formulário. Nele devem constar as informações pessoais, contato e os dados da instituição que o interessado pertence ou representa.


O Seminário e a Exposição Fotográfica “O Futuro É Indígena: 30 Anos Da Terra Yanomami” acontecem na próxima quinta e sexta-feira. Confira a programação e os participantes.



Programação do Evento


Dia 11/08/2022

Mesa: O atual momento da vida povos indígenas


18h: Início das falas das lideranças

Dário Kopenawa, vice-presidente da Hutukara Associação Yanomami

Júlio Ye’kuana, presidente da Associação Wanasseduume Ye’kwana

Júnior Hekurari, coordenador do Condisi

Alisson Marugal, procurador do MPF-RR


Dia 12/08/2022

Mesa: O processo histórico de luta dos povos indígenas


18h: Início das falas das lideranças

Davi Kopenawa, presidente da Hutukara Associação Yanomami

Maurício Ye’kuana, diretor da Hutukara Associação Yanomami

Edinho Batista Macuxi, coordenador do Conselho Indígena de Roraima (CIR)


21h: Exibição do documentário dos 30 anos da Terra Indígena Yanomami



A Terra Indígena Yanomami


Com uma área de mais de nove milhões de hectares, a Terra Indígena Yanomami está localizada entre os estados de Roraima e Amazonas, e comporta uma população de quase 30 mil habitantes das etnias Yanomami, Ye’kwana e os povos isolados Moxihatëtëma.


O maior território indígena do Brasil completou 30 anos de homologação no mês de maio, com o maior índice de desmatamento dos últimos tempos – 46% de área devastada pela ação do garimpo ilegal.


A invasão garimpeira, intensificada nos últimos anos com o estímulo dos governos federal e estadual, tem produzido um rastro de destruição, não somente ambiental, mas com impacto na vida das populações indígenas que sofrem com o aumento de doenças, violência e mortes. Estima-se que hoje o território esteja invadido por mais de 20 mil garimpeiros.

232 visualizações0 comentário