• Amazoom

ACAMPAMENTO DA VITÓRIA: a saga dos aprovados no concurso da Polícia Militar de 2018

Em reivindicação a publicação do cronograma de etapas do concurso da polícia militar, aprovados passam 7 dias acampados em frente ao Palácio Senador Hélio Campos.



ACAMPAMENTO

Um grupo de aproximadamente 100 manifestantes, aprovados no último concurso da Polícia militar do estado de Roraima, montou um acampamento no último dia 4 em frente ao palácio do governo, no centro cívico. Houve revezamento para que todos pudessem voltar em casa ou ir ao trabalho e ou faculdade.


A proposta inicial era reunir o maior número de aprovados no ultimo certame, e cobrar a publicação do cronograma oficial das etapas seguintes, com datas específicas, e não datas em aberto e sujeitas a alteração, como havia proposto o Governo do Estado.



O grupo criou um “cemitério” simbólico usando cruzes de cor branca para representar os números da violência que o estado vem sofrendo. Foi utilizado também faixas, velas e um caixão de madeira.



Além de barracas de camping, o grupo se organizou com mesas, cadeiras e caixas térmicas para água e alimentos. Todos os mantimentos utilizados durante o acampamento foram doações dos próprios manifestantes e seus familiares.





A EXIGÊNCIA

Os acampados fazem parte da Associação dos concurseiros do Estado de Roraima. Entidade criada pelos próprios, para debater planos de ação e também cobrarem formalmente o Governo do Estado e a UERR, organizadora do concurso.


Inicialmente a prova do concurso seria realizada no dia 19/08/2018, e as etapas seguintes não estavam previstas. Mas o edital sofreu várias retificações, e a prova teve sua realização no dia 09/12/2018, gerando uma série de novos atrasos. Todos os editais estão disponíveis em https://cpc.uerr.edu.br/.



Cancelamento, suspensão e continuidade

No dia 2 de fevereiro 2019, o vice-governador Frutuoso Lins anunciou o cancelamento do certame, alegando que não havia dinheiro suficiente previsto no orçamento deste ano, e essa medida serviria para equilibrar as contas do Estado. “Fazemos isso não apenas para estabilizar a economia para o futuro, mas também como forma de regularizar o pagamento de servidores”, ressaltou.


Em março, Denarium informou que o concurso teria continuidade, mas precisaria passar por um tempo de suspensão, até que o Estado conseguisse equilibrar as contas.


Após manifestações negativas por parte dos aprovados em primeira fase e pela população em geral, o Governador Antônio Denarium confirmou o andamento do concurso no dia 1º de junho deste ano. O cronograma das etapas seguintes, exames médicos, odontológicos e toxicológicos ficou por conta da banca organizadora, UERR.


A partir deste período, a UERR teria 30 dias para apresentar um cronograma com duas etapas para este ano utilizando a quantia de 1 milhão de reais disponibilizado pela ALE-RR. Entretanto, a banca apresentou um cronograma com uma etapa para este ano, e uma para o ano de 2020, sem data certa.


A primeira etapa deste novo cronograma ocorreu durante o mês de outubro, durante os dias 12, 13, 19 e 20. Onde os aprovados fizeram a entrega de exames médicos.

No final de outubro, a UERR divulgou a segunda etapa do cronograma. O que gerou desconforto entre os aprovados, já que a etapa estava prevista para o ano de 2020, e usava as palavras “provável" e "a partir" dando indícios de mais adiamentos das etapas.

Em assembleia realizada no dia 2 de novembro, os concurseiros decidiram realizar o acampamento, até que um novo edital fosse publicado com datas específicas.





Vitória

No dia 11 de novembro um novo cronograma foi publicado no site da Uerr, com datas certas e sem palavras que abram margens a interpretações.


Para Raphael Medrada, um dos aprovados que participou do acampamento, o sentimento é de alívio: “estamos aguardando muito por essas etapas, já estamos preparados e ansiosos. Depois de muita luta conseguimos essa publicação do cronograma, mas se o Governo ou a UERR atrasar novamente vamos organizar outras manifestações”, disse.


Medrada ainda ressalta a luta e perseverança pelo objetivo: “muitos de nós deixaram de trabalhar pra estudar e treinar, temos compromissos com nossas famílias que nos ajudaram muito”, completou.


Após a publicação do edital, o acampamento começou a ser desmontado.


O Concurso

O certame prevê 400 vagas para o cargo alunos soldados. O mesmo tem validade de 2 anos podendo ser prorrogado 1x por igual período.




Taígo Araújo - Editoria de Poder


45 visualizações
AMAZOOM
  • Black Facebook Icon
  • Black Twitter Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black YouTube Icon

O Amazoom é uma rede de comunicação, pesquisa e promoção da cultura localizado no estado de Roraima

www.redeamazoom.org orgulhosamente criado por Bryan Chrsytian Araújo. 2017