Sete dicas de sustentabilidade para estudantes da UFRR

Por: Jaqueline Tomaz - Edição: Liana Lima O tema sustentabilidade parece que voltou com tudo, isso porque problemas ambientais estão cada vez mais presentes. O assunto parece fácil, mas ao colocar em prática no dia a dia se torna difícil. Partindo de uma ótica local a uma global, dar o exemplo é sempre a melhor forma de influenciar essas práticas. Pensando nisso, foram selecionadas sete ações para tornar a Universidade Federal de Roraima (UFRR) mais sustentável. Confira: 1. A luz banheiro não se desliga sozinha! Você pode não deve ter reparado ainda, mas todos os banheiros do bloco 1 possuem pelo menos três lâmpadas, certeza que o engenheiro que planejou isso, não estava pensando no planeta. O uso desses locais é coletivo, então a alternativa mais viável para poupar energia, e de quebra, ajudar o planeta, é desligar pelo menos uma das luzes após o utilização. No Brasil, cerca de 90% da energia elétrica é produzida a partir de hidrelétricas, de acordo com dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). Sendo assim, quanto maior o consumo energético maior será a quantidade de água necessária para gerar energia. Pense, reflita! 2. Pra quê guardar, se você pode compartilhar? A era digital proporcionou o uso das matérias em PDF, mas ainda existe a necessidade de se trabalhar com o uso do papel físico, e não julgo por isso, parece que o físico se torna mais interessante para uma boa leitura. No entanto, o consumo consciente do papel, é necessário, já que sua origem é baseada em desmatamentos de árvores. De acordo com a Associação Brasileira da Indústria Gráfica (Abigraf), 98% do papel produzido no Brasil é originado do plantio de árvores para produção de celulose. Na vida acadêmica, o uso desse material é muito presente, então para diminuir o impacto dos danos causados por ele, o compartilhamento de matérias seria o ideal. Ao lado do bebedouro do bloco 1, é possível encontrar uma caixa de “Doação de apostilas”. A aluna do curso de jornalismo, Aymeê Rodrigues explica essa prática ajuda não só na economia do bolso, mas também na diminuição de papéis. “O bloco em si é norteado por papéis, o problema já começa por ai. Essa iniciativa da caixinha de doação gera um impacto e tanto, já pensou na quantidade de folhas que a galera vai economizar, sem contar no dinheiro da xerox? além disso esse ato de compartilhamento causa uma interação com o pessoal, e ainda ajuda o planeta ”, disse, Rodrigues. 3. Quer continuar vivo? Poupe ar-condicionado Sim, já sei que Roraima, é um dos estados mais quentes do Brasil. É que o uso dos ares-condicionados, é quase uma regra. Mas estudos mostram que o uso excessivo desses equipamentos podem gerar consequências além do preço da conta de luz. Refrigeradores e condicionadores de ar liberam gases hidrofluorcarbonos (HFC), que podem ser milhares de vezes mais potentes do que o dióxido de carbono (CO2) em prender gases de efeito estufa na atmosfera, apontados como responsáveis pelo aquecimento global. Na universidade contém, pelo menos, um aparelho de ar condicionado em cada sala, então o seu uso com moderação, é muito importante para salvar o planeta. 4. Canudos de “refri” nunca mais! Refringentes, achocolatados, vitaminas parece que só tem graça se bebido com um canudinho. Nos lanches da universidade, por exemplo, é quase certo que haverá vários canudinhos de plásticos disponíveis para consumo. Mas é importante lembrar que o 3 minutos de uso desse material, pode causar problema anos. Estudos comprovam também que cada um leva pelo menos 500 anos para se decompor na natureza. Em relatório o Fundo Mundial para a Natureza, mostrou que a cada 1 milhão de aves marinhas e 100 mil mamíferos e tartarugas perdem a vida ao se enroscar ou ingerirem plástico. 5. Diga não aos copos descartáveis Desde 2012 a UFRR possui o Plano de Logística Sustentável (PLS). Uma das principais ações executadas no plano, foi a diminuição de copos descartáveis. Podem reparar, em nenhum dos bebedouros da instituição possui copos de plástico. Essa iniciativa é justamente para incentivar os acadêmicos no uso de canecas ou copos individuais. Um ano após a criação do plano, foram distribuídas canecas e xícaras duráveis para servidores, e isso gerou uma redução de e 57% no uso de copos de café(50ml) e 35% em água (200ml). 6. De pingo em pingo, à água do planeta se esgota Em tempos de escassez a água se torna um dos assuntos mais recorrente, isso porque sem ela ninguém vive. Dados do site SOS Mata Atlântica revelam ainda que o desperdício de água no Brasil chegue a 70%. A torneira aberta, gera um gasto de 12 a 20 litros de água por minuto. Se deixar pingando, são desperdiçados 46 litros por dia. Na universidade, cenas como essas são comuns, seja pela pressa dos acadêmicos, seja pela falta de estrutura nos bebedouros ou na pia dos banheiros. Evite cenas como essas: imagens do banheiro do bloco 1- 7. O uso descarte correto do lixo Basta andar um pouco pelos campi da UFRR que você se depara com pelo menos um lixo sem o descarte correto. O crescente volume de lixo, além de ser feio, é prejudicial. E sim, a universidade, não oferece estruturas para o uso correto do lixo, mas seja a diferença, não jogue o lixo no chão ou em lugares indevidos.

AMAZOOM
  • Black Facebook Icon
  • Black Twitter Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black YouTube Icon

O Amazoom é uma rede de comunicação, pesquisa e promoção da cultura localizado no estado de Roraima

www.redeamazoom.org orgulhosamente criado por Bryan Chrsytian Araújo. 2017