Casa da Mulher Brasileira em Roraima: a rede de proteção da mulher

O quadro de crescimento de violência contra a mulher reforça a necessidade de intensificações de ações estratégicas para eliminar atentado contra a vida da mulher em todo o Brasil. No Estado de Roraima, o atendimento realizado pela Casa da Mulher Brasileira reforça a segurança promovida em favor da vida da mulher, permitindo oferecer atendimento especializado para o enfrentamento dessa doença social, o feminicídio. Entre as principais instituições de atendimento à mulher, está A Casa da Mulher Brasileira de Roraima foi inaugurada no dia 03 dezembro de 2018, porém as aberturas dos atendimentos só aconteceram de fato com a reinauguração ocorrida no dia 15 (quinze) de janeiro de 2019, ofertando 7 (sete) serviços à mulher em situação de violência. E diante dessa atmosfera de dificuldades enfrentadas pelas mulheres, a rede integrada de proteção da mulher é reforçada com operações do setor de segurança pública e justiça para o enfrentamento dessa situação de medo e violência, que por meio do Ministério da Justiça e Segurança Pública e Polícias Civis de todo o país deflagram Operação Resguardo. A realização da Operação Resguardo acontecendo ao mesmo tempo nos 26 Estados e no Distrito Federal tornando-se a maior ação de combate a crimes de violência contra a mulher no Brasil. E em Roraima, a Operação Resguardo vem sendo coordenada pelo DPE (Departamento de Polícia Especializada), por meio da DEAM (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), todos os esforços estão sendo cumpridos conjuntamente, além de investigar e promover mandados de prisão para os casos graves já identificados. Para o diretor do DPE, que coordenou a Operação Resguardo em Roraima, por meio da DEAM (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), a ação policial em Boa Vista foi “exitosa”. Ele destacou a importância do trabalho realizado em todo o País pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública em apoiar os estados na repressão a violência contra a mulher. “Foi uma ação exitosa e é importante que a mulher denuncie companheiros violentos. Se não quiserem procurar pessoalmente, podem registrar ocorrência online, por meio do site da Polícia Civil, no www.pc.rr.gov.br. Mulheres, não se calem denuncie a violência doméstica” reforçou. E os canais de acesso ao enfrentamento desses casos são mecanismos disponíveis para a sociedade, a fim de eliminar os registros dos índices de pesquisas apresentando crimes cometidos contra a mulher, e os riscos que a mulher corre se não tiver disponível uma rede integrada para o seu atendimento especializado, em seu canal oferecido à população o 180 recebe as denúncias, e casos emergenciais podem contar com o 190, sendo fundamental sua utilização para proteção da mulher. O trabalho de sensibilização e mobilização social, reforçado por datas alusivas ao respeito da mulher, o dia 08 de março Dia Internacional da Mulher, fortalecem o espírito de solidariedade, acolhimento e proteção, assim como servem de socialização das informações para que os crimes sejam erradicados por completo, e para isso, a formação educacional da sociedade é forte instrumento nessa mudança de comportamento, esclarecimentos e compreensão dos fatos que destroem famílias se deixadas sem o devido enfrentamento. O delegado Geral, Herbert de Amorim Cardoso, lembrou que a data é alusiva ao dia Internacional da Mulher serve de sensibilização da sociedade e ressaltou que o Ministério da Justiça coordenou essa operação no País, em que Roraima esteve integrado. “Cumprimos vários mandados de prisão contra agressores de mulheres e quero deixar um recado para você mulher. Não se cale, não se acovarde, denuncie a violência. Temos em Roraima uma delegacia especializada, que funciona na Casa da Mulher Brasileira, com toda a estrutura para atendê-las. Não mediremos esforços para dar apoio e a logística necessária para que vocês tenham um excelente atendimento e uma prestação do serviço da Polícia Civil de qualidade e uma resposta imediata para aquele agressor que tanto lhe tira a tranquilidade”, afirmou. Atuação conjunta na rede de proteção à mulher consolida ações estratégica em combate à violência contra vítimas em situação de vulnerabilidade. As dimensões do sofrimento são implacáveis na vida da vítima. Compreender todo esse contexto requer a compreensão da sociedade para exterminar atos severos, que culminam em graves crimes conta a mulher, e entender como ajudar é atitude de justiça social, e deve ser assumida por todos como forma de sanarmos essa enfermidade social, confira agora o vídeo que esclarece mais à população sobre como agir para defender a mulher em nossa sociedade. E sabermos reconhecer a importância da Mulher para toda a sociedade todos os dias. Por Shigeaki Ueki Alves da Paixão e José Carlos Magno Neto - acadêmicos do curso superior em Comunicação Social - Habilitação em Jornalismo, da Universidade Federal de Roraima - UFRR. Sob a supervisão da Profa. Dra. Tatiane Hilgemberg Figueiredo – UFRR. Atualizado em 11.03.2021, às 10h02min.

AMAZOOM
  • Black Facebook Icon
  • Black Twitter Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black YouTube Icon

O Amazoom é uma rede de comunicação, pesquisa e promoção da cultura localizado no estado de Roraima

www.redeamazoom.org orgulhosamente criado no curso de Jornalismo da UFRR em 2017