27° Grito dos Excluídos e Excluídas vai denunciar injustiças sociais

Em Boa Vista o Grito dos Excluídos acontece na Praça Fábio Paracat a partir das 7:30h da manhã Em seus 27 anos de história, o Grito dos Excluídos e das Excluídas mudou a cara do dia 7 de Setembro e da Semana da Pátria, chamando o povo para descer das arquibancadas dos desfiles cívicos e militares e participar ativamente da luta por seus direitos, nas ruas e praças, nos centros e nas periferias de todo o Brasil. O Grito dos Excluídos e das Excluídas é um processo de construção coletiva, é muito mais que um ato. Por isso, nossa luta não se encerra no dia 7 de Setembro. De acordo com manifesto publicado no site nacional do Grito, a manifestação popular é carregada de simbolismo, espaço de animação e profecia, sempre aberto e plural de pessoas, grupos, entidades, igrejas e movimentos sociais comprometidos com as causas da população mais vulnerável. Em 2021 o movimento vai destacar a luta por diversos frentes, dentre elas as quase 580 mil mortes pela COVID-19, muitas das quais poderiam ter sido evitadas, além da corrupção na negociação de compra e distribuição das vacinas contra a COVID-19 e o desmonte da saúde pública mantida pelo Sistema Único de Saúde – SUS. Além disso, é pauta do protesto que deve acontecer a em todo o país a carestia e a fome que voltaram com tudo e assolam as camadas empobrecidas da população, o desemprego, o desvio do dinheiro público, através do orçamento federal, para o pagamento de juros da dívida pública, ao invés de investir em políticas sociais, bem como anão demarcação das terras indígenas e o grito profético dos povos indígenas dizendo “Não ao Marco temporal”, dentre outras. O Grito vai se posicionar também contra o tratamento dado aos povos em situação de rua, sejam de qualquer origem, migrantes e refugiados ou deslocados internos, e a cultura do ódio disseminada pelo governo federal e seus aliados que ataca e retira os direitos humanos de mulheres, LGBTQIA+, negros/as, dos povos originários – Indígenas e Quilombolas, das pessoas portadoras de deficiência, do/as trabalhadores/as, dos setores excluídos da sociedade. A nota fala ainda que a sociedade não pode ficar indiferente a essa realidade que atenta contra a vida do nosso povo, porque acreditamos que é possível e necessária a construção de outro modelo de sociedade. Haverá atos e manifestações conjuntas, do 27º Grito dos Excluídos e das Excluídas com a Campanha Fora Bolsonaro, em todo o Brasil, de forma presencial, onde for possível, e de forma virtual pelas redes sociais. Cuidados sanitários Os participantes do movimento devem estar atentos para as orientações sanitárias durante as manifestações, dentre as quais: ● Manter o distanciamento social recomendado pela OMS e o uso de máscaras e álcool gel; ● Carregar sempre água suficiente para se hidratar durante os atos; ● Não responder às provocações de grupos bolsonaristas; ● Estar sempre em grupos, sobretudo na chegada e na dispersão dos atos; ● Evitar o confronto direto e indireto, manter o foco no tema e lema do Grito; ● Pensar e organizar a segurança durante o processo de construção e realização das atividades (criar grupos de coletivos de advogados/as com o objetivo de garantir proteção jurídica para os/as militantes nas ruas); ● Em caso de abordagem policial, manter a passividade para evitar confronto direto, informando que o ato é pacífico e democrático; ● Em casos de violência, se possível, aproxime-se de pessoas que possam filmar ou fotografar o ocorrido, para servir de prova testemunhal.

27° Grito dos Excluídos e Excluídas vai denunciar injustiças sociais