Índice de leitura no Brasil ainda é baixo

Por Eliane Guimarães e Laura Lima | Edição: Isaque Santiago Saber ler, muitos sabem, mas poucos o fazem com frequência. Essa realidade pode ser comprovada no baixo índice de leitura no país. De acordo com a pesquisa do Instituto Pró-Livro, intitulada Retratos da Leitura no Brasil, realizada em 2016, o brasileiro ler em média 2,43 livros por ano. Ainda conforme a pesquisa, a falta de tempo é alegada pelos entrevistados como uma barreira para lerem um livro. Mas, quando leem, as principais motivações são: gosto (25%), atualização cultural (19%), distração (15%), motivos religiosos (11%), crescimento pessoal (10%), exigência escolar (7%) e exigência no trabalho (7%). Na análise por gênero de livros, a bíblia e os religiosos, apresentam um dos mais lidos pela população. O ato de ler deve ser estimulado desde a infância, pois é uma forma de desenvolver a imaginação e a linguagem das crianças. Segundo a professora de português, Sônia Lima, um dos motivos que ocasionam a falta de leitura entre os alunos é o desincentivo dos pais. “Para se formar um leitor, a pessoa precisa ser motivada e conduzida a isso. Mas, além de uma grande falha da escola, há também a omissão dos pais na formação do hábito da leitura, na criança, no que seria o tempo ideal para isso”. A professora explica também que para mudar o atual cenário é preciso realizar, com o apoio dos órgãos de educação, projetos nas escolas voltados para a leitura “Primeiro, seria necessário o despertar dessa consciência nos gestores públicos. Precisamos de políticas, especificamente, para esse fim. Investimentos em projetos que possam ser desenvolvidos em todo o ensino básico, mas com seriedade, com o compromisso de fazer acontecer e que não seja um trabalho solitário do professor de Língua Portuguesa”. Em comparação com anos atrás, é possível notar que houve um maior acesso a livros no país. Existem diversas bibliotecas espalhadas pelo Brasil, mas elas ainda estão fortemente associadas a locais apenas para alunos, motivo esse, pelo qual o estudante é o principal usuário destas. Apesar disso, com o advento da internet, a maioria das pessoas passaram a preferir o estudo e pesquisa em suas casas através de computadores e celulares, pela facilidade e rapidez com que encontram o conteúdo desejado. Além de menos tempo em estudos, a internet também propicia outros tipos de distrações como jogos online e redes sociais, o que em parte responde pelo o menor número de leituras realizadas pelos brasileiros, já que, segundo uma matéria do site Época Negócios, o Brasil ocupa a segunda posição entre os países que passam mais tempo em redes sociais. A falta de leitura pode ocasionar diversas dificuldades e consequências durante a vida como, por exemplo: péssima comunicação, equívoco em interpretação de textos, vocabulário insuficiente, improdutividade e dificuldade em escrever. Para o Doutor e escritor, Drauzio Varella, “as pessoas que não leem são pessoas que vão ter um universo muito mais limitado. Aqueles que leem diversos tipos de autores são pessoas que adquirem uma cultura que as tornam muito mais interessante, muito mais preparadas para encarar os desafios da vida”. Confira o vídeo completo abaixo: A leitura deve ser feita constantemente para torna-se um hábito. Sabendo que no começo pode ser difícil, para aqueles que nunca receberam o incentivo ou tiveram o interesse despertado em acrescentá-la como parte fundamental do cotidiano, selecionamos abaixo, quatro dicas para adentrar nesse “mundo” 1 Comece com textos, revistas ou livros que mais gosta, para estimular você a ler cada vez mais. 2 Institua um horário ou dia da semana para a sua leitura, assim, essa prática fará parte de sua rotina. 3 Leia enquanto estiver em filas, sala de espera ou qualquer momento em que se sentir entediado ou desocupado. 4 Frequente bibliotecas, livrarias e feiras literárias, esse locais costumam estimular a curiosidade e interesse pela leitura. Frequente lugares que estimulem o hábito Uma ótima oportunidade para quem deseja começar ou estimular a leitura, é visitar bibliotecas e também eventos que possuem esta finalidade como, por exemplo, uma Feira literária, Livrarias, Bazar de Livros, etc. Bibliotecas Em Roraima, segundo a Folha de Boa Vista, existem mais de 30 bibliotecas públicas em funcionamento, sendo que a maioria possui sede na capital, como, por exemplo, a Biblioteca Pública Delta do Carmo Golveia Coelho, que atualmente é localizada no Palácio da Cultura, e é a única biblioteca estadual. Contém formatos textuais de vários gêneros, de política à histórias em quadrinho, e é dividida em duas alas, biblioteca infantil, que contém conteúdos voltados para a infância, como contos juvenis, e a biblioteca geral que contém livros, documentos, teses e outros gêneros que ajudam em pesquisas e estudos acadêmicos. O local é aberto de segunda à sexta das 8h às 18h. Foto Jaqueline Tomaz | Arquivo Rede Amazoom Onde compram-se os livros? Os leitores, incluem-se aí os iniciantes, costumam se apegar tanto ao hábito que apenas o ato de emprestar de bibliotecas ou amigos, não é o bastante. O consumismo bate na porta, e o sonho de sua biblioteca pessoal invade a casa sem conceder o tempo para pestanejar. Essa lista de desejos infindáveis com nomes de livros, só pode ser concedida de duas formas, primeira, o leitor pode ter a sorte grande de ganhar as tão desejadas obras, como um presente de amigos, familiares e até mesmo em sorteios; ou, segunda forma, ele pode abrir a carteira e pagar o preço da sua próxima viagem literária. De qualquer modo, é preciso saber onde encontrar os títulos desejados. Livrarias, geralmente, são os lugares mais procurados por conta da sua diversidade de conteúdos. Aqui em Roraima, por exemplo, tem a Livraria Saber; a Livraria Popular; o Mundo Nerd Store. Bazares e feiras literárias são ótimas para quem não curte ou pode gastar muito e, também, para aqueles que não se importam com produtos de segunda mão, existem pessoas que preferem porque além de barato, possuem uma história. Também existem bancas de revistas, lojas e supermercados que vendem algumas obras, como as Lojas Americanas, tanto localizada no Pátio Roraima Shopping, quanto a da Avenida Jaime Brasil, no Centro. Opções online de acesso e de compra Com o advento da internet, novas opções para fazer leituras surgiram. Os livros digitais tornam-se uma nova possibilidade de consumir conteúdos por meio da tecnologia. Pensando nisso separamos cinco sites que oferecem leituras online que podem ser feitas diretamente do seu smartphone. UNESP ABERTA – oferece mais de 70 temas para estudo nas áreas de humanas, exatas e biológicas. Os materiais estão disponíveis em diversos formatos. Você tem acesso aos conteúdos gratuitamente. AMAZON – Possui diversos livros pagos, mas disponibilizam opções de ebooks gratuitos. BIBLIIOTECA MUNDIAL DIGITAL – contém documentos históricos online de diferentes partes do mundo. Ótimo para quem gosta de conhecer países. MACHADO DE ASSIS - Criado pelo MEC, o site disponibiliza a obra completa do escritor brasileiro Machado de Assis, como crônicas, romances, contos etc. OPEN LIBRATY – Nele você pode emprestar livros, em versão digital, por duas semanas. Considerando que nem sempre os livros da lista de desejos ou o da grade curricular do curso, são encontrados nos pontos de venda fisicamente próximos a nós. Separamos mais dois sites, com acervos extensos e de preços variados: ESTANTE VIRTUAL - Nesse site são vendidos livros novos, usados e seminovos, de vários gêneros e tamanhos. SARAIVA - uma das maiores e mais conhecidas livrarias do Brasil. Leia, não importa o formato! As pessoas tendem a associar a palavra leitura com o ato de ler as grandes obras de autores super renomados como Machado de Assis ou William Shakespeare, não que estejam erradas, essas são de fato criações importantes, mas não são as únicas. Segundo um cálculo realizado, em 2010, pelo Inside Google Books, existem no mundo mais de 129 milhões de livros, ou seja, limitar a leitura de todos em uma lista dos 100+ seria injusto e fora da realidade, porque além dessa quantidade infindável de livros, existem mais de 7 milhões de pessoas no planeta Terra e é totalmente improvável que todas elas leiam pelo menos um único livro igual. Deve-se contar também com o fato de que nem todas as pessoas leem livros e os motivos pelo qual não o fazem varia de caso para caso, alguns não sabem ler, outros não têm acesso, e existem os que simplesmente preferem ler outros formatos ou não ler nada. A vendedora, Helena Lima, por exemplo, tem o costume de ler notícias diariamente e receitas caseiras variadas, mas não lê tantos livros, pois, segundo ela, o conteúdo precisa chamar sua atenção. “Se eu começo a ler e acho interessante, tenho que terminar eles, mas são poucos os que me chamam atenção. Tem que ser falando de uma realidade, mas que não seja muito cansativo, que seja interessante.”. Ela completa falando sobre a frequência de suas leituras. “Eu gosto de ler, só que eu não sou daquela pessoa, assim, que pega o livro e termina em um dia, eu não consigo. A história tem que ser muito boa para chamar minha atenção, e eu ficar presa a ela”. Um pouco menos ligado em livros, o soldado, João Paulo Lima, diz gostar de ler mangás, assuntos relacionados a futebol e outros que o chamarem a atenção, sobre como costuma escolher a leitura, ele diz. “É o mesmo requisito das minhas músicas, tipo, eu escuto e se gostar, eu baixo, e, [em relação a leitura] se o conteúdo me interessar, eu leio”. O índice de leitura no Brasil é baixo, algumas pessoas não curtem ler livros ou jornais, e outras não têm acesso. Mas é importante que haja um interesse maior nisso, tanto políticas públicas que invistam e estimulem isso, como foi citado anteriormente pela professora Sônia Lima, quanto uma curiosidade maior por parte dos cidadãos. Não necessariamente precisa-se ter ou folhear diversos livros, existem vários formatos e conteúdos como quadrinhos, revistas, blogs, sites de noticias, poema, cordel, apostilas, letra de música, a Constituição Brasileira. Tudo isso, agrega algum tipo de informação e estimula de algum modo a reflexão e a criatividade. Ler, independente do formato e conteúdo, é importante, pois agrega conhecimento e faz pensar, além de que na maioria das vezes, pode-se conhecer o mundo ou pelo menos o olhar do outro sem que para isso tenha que, fisicamente, sair do lugar. Evento literário Para quem ficou interessado em explorar um pouco mais a arte de ler, o Sesc está realizando, até o dia 11 de outubro, o Festival Literário, com o objetivo de divulgar a literatura local e fomentar o interesse da comunidade em geral a praticar a leitura. Durante o evento terá oficinas, lançamentos de livros, apresentações culturais e rodas de conversas. O Sesc está localizado na rua João Barbosa, n° 143, no bairro Mecejana. #Leitura #Livroseoutrosformatos #Leiamais

AMAZOOM
  • Black Facebook Icon
  • Black Twitter Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black YouTube Icon

O Amazoom é uma rede de comunicação, pesquisa e promoção da cultura localizado no estado de Roraima

www.redeamazoom.org orgulhosamente criado por Bryan Chrsytian Araújo. 2017