• Amazoom

Prática de exercícios físicos na pandemia melhora a qualidade de vida

No período mais crítico do isolamento social causado pelo COVID-19, os exercícios em casa se tornaram a melhor forma de cuidar da saúde física e mental.


Por: Fernanda Vasconcelos


Foto: Fernanda Vasconcelos


Tendo inicio no ano de 2020, a pandemia procedente do Corona vírus fez com que academias, praças e outros espaços que antes eram usados por várias pessoas ao mesmo tempo fossem fechados e proibidos. A aglomeração era a maior responsável pela contaminação em massa. Dessa forma a população foi orientada a ficar em casa, em isolamento social rígido que durou cerca de um ano.


Estar em casa fez com que as pessoas procurassem diferentes formas de se distrair, pois estar isolado e com a crescente onda de notícias ruins e fake news acerca de um vírus ainda desconhecido trouxe o agravamento de problemas como ansiedade, depressão, crises de pânico e compulsão alimentar. Os exercícios físicos foram uma válvula de escape para boa parte da popular por ajudar não apenas na forma física, mas também na mental como explica a psicóloga Julia Arnaud.


“Além de melhorar a aptidão física, o exercício físico regular também pode melhorar a capacidade cognitiva e reduzir os níveis de ansiedade e estresse de modo geral no nosso corpo.”

Julia ainda ressalta que as atividades físicas ajudam na autoestima de quem as pratica e que essas atividades liberam hormônios como a serotonina também conhecido como hormônio da felicidade ajudando com a ansiedade e o estresse que o isolamento causou na população


“É uma forma de manter a calma, de fortalecer o nosso sistema imunológico, então foi de um papel fundamental para as pessoas se manterem mais calmas, o mínimo possível dentro das condições em que estávamos inseridos e também conseguir passar por esse período de uma forma menos penosa.”

A ABP, Associação Brasileira de Psiquiatria, realizou uma pesquisa na qual os resultados alertam para um crescimento de 25% nas consultas realizadas por psiquiatras no período de distanciamento social e um aumento de 89,2% no agravamento de sintomas de pacientes que já estavam em tratamento psicológico.


A pratica de exercícios em casa também foi objeto de analise para pesquisadores da Universidade Federal do Ceará, da Universidade Federal da Paraíba, do Centro Universitário de João Pessoa e da Universidade Estadual Vale do Acaraú que avaliaram os benefícios e impactos na saúde mental e física de adultos. A conclusão do estudo foi publicada em 14 de setembro de 2020 “Em conclusão, adultos que se exercitaram em casa durante a pandemia do COVID-19 apresentaram melhor qualidade de vida, qualidade subjetiva de sono e níveis reduzidos de ansiedade, depressão e estresse do que aqueles fisicamente inativos.”



Vídeo: Arquivo Pessoal


Foi assim para Nathalyna Lúcia, estudante de biologia que começou a praticar exercícios físicos na pandemia.

“Eu comecei por volta do ano de 2020, logo no inicio da pandemia, e foi uma forma de conseguir lidar com as frustrações e ansiedades durante o dia de estar em uma zona de risco que foi a pandemia para todo mundo.”


Foto: Arquivo Pessoal


Sem a possibilidade de frequentar academias, Nathalyna, assim como muitos jovens do mundo, aderiram as aulas online, feitas através de lives ou canais de exercícios no Youtube. Quando perguntada sobre seus resultados Lúcia respondeu:


“Obtive resultados psíquicos e físicos, fisicamente eu construí uma resistência muita boa e psiquicamente uma disciplina notável.”



Foto: Arquivo Pessoal


Para Val Vieira que é profissional de educação física, e pratica atividades física há 14 anos, não foi um desafio adaptar seus treinos para casa, apesar de não possuir os mesmos equipamentos que usaria em uma academia, Val como profissional da área tem uma base e conhecimento corporal para fazer seus treinos e ainda obter bons resultados.


Apesar disso, como personal trainer e instrutora, Val sentiu muita diferença ao passar o treino para os seus alunos e adaptar sua rotina com as aulas virtuais através de vídeos.


“Tem diferença, muita diferença. Com a pessoa presencial eu estou do lado dela, estou corrigindo, estou observando o que ela está fazendo. Ela estando no virtual mesmo com o profissional olhando não é a mesma coisa.”

A instrutora também alerta para os perigos de fazer exercícios sem supervisão de um profissional.


“Traz benefícios desde que você saiba o que está fazendo e tenha o acompanhamento de um profissional porque senão você acaba fazendo besteira e acabam acontecendo acidentes. Como aconteceram vários acidentes. “

Um dos grupos de risco na pandemia eram as pessoas com obesidade, uma pesquisa apoiada pela FAPESP revelou que o tecido adiposo funciona como um reservatório para o vírus o mantendo por mais tempo no corpo e que pessoas obesas independente da idade ou de serem portadores de outros problemas de saúde, correm mais risco de contrair o Corona vírus em sua forma mais severa.



Foto: Reprodução / Instagram


O médico Leandro Duarte acredita que o isolamento social junto da ansiedade, levaram muitas pessoas à compulsão alimentar, principalmente no período em que praticar exercícios se tornou mais difícil. Por isso o médico especialista na área de medicina esportiva, é a favor dos exercícios em casa, seja por meio de vídeos ou de aulas particulares, para Leandro se exercitar em casa é sempre bom desde que seja feito de forma correta e com alguma perca calórica. Além de que pessoas com uma vida mais ativa tinham mais facilidade para se recuperar após contrair o Corona Vírus.


“Isso ajudava muito no caso de pessoas que pegaram mais tardiamente o vírus, na parte da recuperação, elas tinham uma capacidade pulmonar melhor, ou seja, evoluiu com menos sintomas”

Mesmo após a liberação das academias e do uso de máscara, Leandro Duarte ainda indica o exercício em casa para pessoas que tenham dificuldade de acesso a essas academias ou até mesmo dificuldades de sair de casa por problemas psicológicos ou de mobilidade.


“O exercício em casa pode sim ser feito com muita qualidade desde que você tenha um cronograma bem feito, exercícios, amplitude, uma movimentação com um profissional fazendo pelo menos um planejamento básico, você consegue utilizar o treino em casa.”



As entrevistas completas podem ser encontradas clicando aqui.


O que é o Covid - 19


Segundo a OPAS (Organização Pan-Americana de Saúde), o Covid-19 é "Uma doença infecciosa causada pelo coronavírus SARS-CoV-2 e tem como principais sintomas febre, cansaço e tosse seca. Outros sintomas menos comuns e que podem afetar alguns pacientes são: perda de paladar ou olfato, congestão nasal, conjuntivite, dor de garganta, dor de cabeça, dores nos músculos ou juntas, diferentes tipos de erupção cutânea, náusea ou vômito, diarreia, calafrios ou tonturas."


Para mais informações sobre a doença clique aqui.

38 visualizações0 comentário