• Carol Domingos

Pet terapia ajuda no combate a doenças psíquicas

Eles fazem o meu dia melhor e melhoram a minha autoestima, diz Marina Gomes


Por Carol Domingos

Foto: Reprodução

Durante a pandemia, houve cerca de 25% de aumento de casos de depressão e ansiedade em todo mundo, de acordo com os dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). A desorganização mental está ligada com a mudança de hábitos e com o isolamento social, muitas pessoas se viram obrigadas a adaptar suas vidas ao novo normal.



Segundo dados da União Internacional Protetora dos Animais (UIPA), a procura por adoção de animais aumentou 400% durante os primeiros meses da Cobid-19. Já o Radar Pet 2021, identificou que cerca de 30% dos animais dos tutores entrevistados foram adotados durante o período de quarentena. Outro dado interessante é que 23% das pessoas adquiriram seu primeiro pet durante a epidemia.



A “pet-terapia” e “zooterapia”, é um método utilizado por profissionais da saúde que vem ajudando no auxílio nos tratamentos tradicionais de psicopatia, sejam mentais ou motoras. Os pets trazem diversos benefícios para a saúde humana, pois eles possuem a capacidade de incentivar a produção de hormônios, como serotonina e dopamina, que ajudam a amenizar os sintomas de depressão, ansiedade e estresse, a pressão arterial e a frequência cardíaca, contribuindo para o combate da indisposição.



O psicólogo Wagner Costa, especialista em psicologia positiva, a importância de conviver com pets, é essencial para emoções positivas. Assim, ajudam a melhorar o emocional, saindo da sua zona estressante para um âmbito afetivo. Ele também afirma que a escolha pelo pet é referente a cada situação vivenciada por cada pessoa, existindo ocasiões diferentes, traumas ou até mesmo de solidão.



“A única limitação recomendada é quando o seu dono tem alergia ou não tem paciência para lidar com o animal, a escolha vai depender muito de cada pessoa e da situação. No caso da depressão e ansiedade é recomendado felinos e canídeos dóceis” comentou Wagner.


Marina Gomes, dona de casa, relata sobre a reciprocidade recebida por seus pets, de estimação. Ela afirma que considera seus animais como protetores, cuidadores e companheiros fiéis e que proporcionam uma realidade diferente da rotina todos os dias, mesmo sendo um dia cansativo, transmitem o acolhimento e amor puro para si.



“Eles fazem o meu dia melhor e melhoram a minha autoestima. Quando estava passando por momentos ruins, resolvi adotar um filhote e hoje tenho oito cachorros. Eu amo meus filhos de quatro patas.” relatou Marina.


Bruno Gadelha, é autônomo, e por trabalhar em home office conta que se sentia muito solitário durante a quarentena. Devido a isso, resolveu adotar três gatos. Ele conta um pouco sobre o processo de adoção e como isso pode ter influenciado alguns de seus amigos.



Gadelha dia que adotou seu primeiro pet através da ONG Arca Boa Vista, e que ao buscá-lo, descobriu um amor diferente. Ao passar do tempo fez mais duas adoções e garante que é um amor incondicional e único, pois, o contato com eles já é o suficiente para melhorar seu humor


“Eu sinto que é um amor incondicional, não brigam comigo e sempre estão do meu lado, me trazendo alegria e conforto, pois se você o trata bem, ele jamais irá abandoná-lo”, disse.


Yohanna Emmelly, é estudante de jornalismo, devido a epidemia acabou desenvolvendo TAG (Transtorno de Ansiedade Generalizada) e episódios depressivos, mesmo com o acompanhamento com psicólogos, psiquiatra e remédios, foi no amor dos seus animais que ela encontrou conforto.



“Durante a pandemia tive muitos problemas devido ao isolamento, ao medo e as incertezas do amanhã e isso acabou gerando em mim muitas doenças psicológicas. Eu já tinha três cadelas, mas como elas ficavam muito tempo no quintal e eu no quarto não era suficiente para mim, então decidi adotar três gatinhas que estavam abandonadas, por ser mais fácil de manter dentro de casa." conta.



Pet Terapia


A Pet terapia é um tratamento motivacional ligada aos seus tutores, despertando a vontade das ações próprias, estimulando melhor a autoestima e a comunicação, trazendo benefícios dentro campo da concentração e equilíbrio mental, desenvolvendo um novo hábito afetivo.



ONGS (Organizações Não Governamentais) têm promovido campanhas e divulgação para legitimar pets de estimação, mas tendo em vista uma avaliação mais rigorosa passando por processos e avaliações para o adotante adquirir o pet. Sendo amorosos, um dos pilares essenciais é, sem dúvidas, a conexão encontrada. Em Boa-Vista as organizações que são destinadas para adoção de animais são Yawara- Associação de Proteção Animal e Arca BV. Para divulgação de felinos em busca de um lar.


Dados da Organização Mundial da Saúde mostram que, no Brasil, existem cerca de 30 milhões de animais abandonados. Desse total, 10 milhões são gatos, e 20 milhões, cachorros. Os traumas de um abandono deixam várias cicatrizes na vida de um pet, muitas vezes é necessário a ajuda de um veterinário ou adestrador para reverter esse quadro.


5 visualizações0 comentário