• suyannesa20

A importância do Instagram para o empreendedorismo em Roraima

Atualizado: 20 de out. de 2021

Escrito por: Ágata Macedo, Álvaro Sales, Rikaelly Nascimento e Suyanne Sá



Empreendedorismo na pandemia (Arquivo pessoal)



O empreendedorismo no Brasil está se adaptando a todo momento, assim como ocorreu durante a pandemia do Covid-19 quando cada empresário precisou inovar no seu respectivo setor. Empreendedores buscaram meios para se fortalecer optando por divulgações e vendas em plataformas online, num momento em que as redes sociais se tornaram uma nova ferramenta de trabalho, principalmente o Instagram.


De acordo com a consultora empresarial americana, McKinsey, cerca de 53% das empresas do mundo perceberam o aumento de consumidores em produtos vendidos de forma online durante o período da pandemia. Abrindo os olhos para uma nova área de investimento, o marketing digital.

Segundo o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), no ano de 2020, “estima-se que a crise sem precedentes, causada pelo avanço da pandemia do novo corona vírus, deve impulsionar o número de pessoas que vão buscar o empreendedorismo como uma alternativa de renda. Em 2019, a Global Entrepreneurship Monitor (GEM) apontou que o país atingiu 23,3% de taxa de empreendedorismo inicial”.


Boa Vista não é diferente, o mercado digital cresce cada vez mais, a prova disso é o número de empresas presentes nas redes sociais e também das agências de marketing gradualmente requisitadas. O digital se torna uma grande opção em meio a pandemia e diversos empresários optam por investir nesta área que traz rendimentos através do engajamento.



As agências de marketing são cada vez mais requisitadas. (Arquivo pessoal)



Claudyanne Minotto é empresária na área de publicidade e dona de uma agência de marketing digital onde trabalha em vários setores como produções de fotografias, gerenciamento de redes sociais e atendimento. “A Insight é uma agência especializada em marketing digital e atualizações em redes sociais, trabalhando também na parte de assessoria para empresas, melhorando a sua imagem dentro das plataformas digitais, principalmente no Instagram” explicou.


"O marketing digital está crescendo cada vez mais". (Arquivo pessoal)


Provando que as estratégias de marketing realmente funcionam, a publicitária dá o exemplo da empresa Live Occhiali, que conseguiu crescer através das campanhas publicitárias e planejamento das suas redes.


Através do marketing, fez com que a empresa crescesse (Arquivo pessoal)




Empreendedores roraimenses no mercado digital


Luiz Firmiano começou a empreender com a loja LM Sports durante a pandemia. Pelo Instagram, encontrou uma forma de estar presente no dia-a-dia de seus clientes através do conteúdo produzido por ele para a plataforma, visto que a pandemia impedia o contato pessoal. De acordo com o empresário, o marketing digital é o pilar de sua empresa, pois o Instagram foi seu principal meio para as vendas.


O Instagram estreitou a relação entre empresa e cliente. (Arquivo pessoal)


Firmiano conta que atualmente trabalha mais com a criação de conteúdo para a internet e a partir do público alcançado através desse método ele não apenas vende seu produto, mas também infoprodutos e aulas sobre o marketing digital.


Para Luiz, uma loja física pode causar uma boa impressão para os clientes, mas através de sites também é possível impressionar e trazer identidade ao seu negócio. “No online você consegue atender 10.000 pessoas, 5.000 pessoas, ao mesmo tempo. Em uma loja não é possível entrar esse número de pessoas. No digital você tem um site que consegue vender para você, e é necessário apenas que você leve pessoas para esse site e você pode ver qual é a melhor possibilidade para você”, explicou.



Para Luiz, uma vitrine virtual pode atrair clientes tanto quanto uma vitrine fisíca (Arquivo Pessoal)


O empresário conta que não tem uma agência especializada em redes sociais que administra sua loja, pois consegue trabalhar bem sozinho e já entende a preferência dos clientes. Ele também afirma não apoiar a terceirização do marketing, pois sabe bem o que é melhor para sua loja.


A principal ferramenta para produção de conteúdo de Firmiano é o reels, ele explica que é apenas um auxiliar para as vendas e não a principal motivação do empreendimento.


Usar o reels ajuda com a engajamento da rede social. (Arquivo pessoal)



A empreendedora Sara Victoria é dona de uma loja virtual chamada Ohoigoi que oferece produtos geeks, voltado para pessoas que se interessam por cultura japonesa. A ideia da loja surgiu em 2015 quando viu a necessidade de um mercado nesse seguimento que pudesse estar presente nos eventos relacionados a essa temática, visando um público de jovens e crianças. A loja possui um perfil nas redes sociais e a própria empreendedora que o gerencia: “No designer eu tenho um amigo que cuida da parte da imagem da loja, ou seja, é mais na parte da logo e algumas artes, outras coisas sou eu que faço, uso o canva para editar fotos, trabalhos de marketing na área do Instagram, interajo com os seguidores. A parte dos stories é onde a venda mais sai”.


As postagens nos stories aumentam o engajamento da conta do Instagram. (Arquivo pessoal)



Especialista em Instagram


Matheus Vasconcelos gerencia empresas e pessoas físicas, sendo a sua especialidade o Instagram. Ele é procurado como estrategista digital, para realizar análises sobre as redes de seus clientes e traçar os caminhos e estratégias no marketing digital. O estrategista conta que a plataforma foi a que mais lhe chamou atenção, levando-o a desenvolver mais trabalhos na rede social.


O Instagram está sempre se atualizando. (Arquivo pessoal)


Em sua análise, o profissional diz que o Instagram dispõe de diversas ferramentas e funcionalidades, e que as pessoas são atraídas pelas novidades constantes da plataforma. A rede resgatou ideias de outras redes sociais, como Snapchat e TikTok, se consolidando como uma das redes mais completas. O Instagram possui o stories e o reels, que podem ser considerados grandes potenciais no marketing digital.


Os empresários tiveram que passar por momentos difíceis durante a pandemia, o Lockdown fez com que o método de algumas empresas se tornasse inviável, precisando assim de uma rápida adaptação. De acordo com o Matheus, muitos migraram para as redes sociais.



Os empresários viram nas redes sociais um refúgio. (Arquivo pessoal)



O bom uso das ferramentas do Instagram pode ser crucial para o desenvolvimento de uma empresa no âmbito digital. Ele relata que grande parte da população está presente nas redes sociais, desta forma se tornando um ótimo espaço para divulgação do próprio negócio. Matheus deu dicas sobre como iniciar bem no marketing digital.


(Arquivo pessoal)


O especialista conta ainda que os nichos carregam grande importância na hora de investir no próprio marketing. Pessoas mais velhas consomem os meios de comunicação mais tradicionais, como televisão e rádio, porém, os adultos e mais jovens estão presentes de forma incisiva no Instagram, se tornando assim uma vitrine.



(Arquivo pessoal)



Matheus diz que "ao ser contratado, promete ao cliente que ele terá o resultado de pelo menos 30% a mais em seu engajamento, posicionamento de mercado e também de crescimento da sua marca. O fator venda não depende somente do investimento nas redes sociais, também depende do atendimento e da relação que o empresário vai criar com o seu cliente".



A internet em Boa Vista apresenta quedas com certa frequência. No final do mês de agosto, foi registrado um período sem acesso à internet, durou cerca de cinco horas. O especialista relata as dificuldades em dias de lentidão da fibra óptica. “Um dia sem produzir é um dia que nosso cliente sai prejudicado. Se torna um momento que não conseguimos nos relacionar com prováveis compradores, que podem estar encontrando o mesmo produto com vendedores por todo o Brasil. Nosso problema com a internet é geográfico, quando estamos sem internet, outros estados continuam produzindo”, explicou.



Em pesquisa realizada através de questionário, feita pela equipe desta reportagem, com comerciantes da Avenida General Ataíde Teive , a maioria delas usam o Instagram, como vitrine virtual.


Foi feita a pergunta "você usa as redes sociais para fazer a divulgação da sua loja?", 15 dos entrevistados disseram que usam e que isso trouxe mais clientes, além de ajudar na venda de seus produtos. Os que disseram não usar redes sociais, relataram ter uma conta inativa por não ter alguém especializado para cuidar das postagens e interações com os seguidores, já que não possuem tempo ou conhecimento no assunto.



Enquete realizada dia 17/10/2021

A maioria destes empresários começaram a utilizar as redes sociais durante a pandemia.




Apenas três dos empresários utilizam este meio de divulgação há mais de quatro anos.



Das empresas que usam o Instagram, percebeu-se que 60% deles começaram a usar a plataforma durante a pandemia, que foi o modo que muitos empreendedores encontraram para continuar com a sua renda. O que de acordo com os relatos deu certo e o uso contínuo da rede ainda tem efeito direto nas vendas.



22 visualizações0 comentário