• Laís Muniz

Veganismo: um estilo de vida que vai além das restrições alimentares

Atualizado: Out 21


FOTO: arquivo pessoal



Segundo Ricardo Laurino, presidente da Sociedade Vegetariana do Brasil, 30 milhões de brasileiros são adeptos ao estilo de vida. Atualmente, grandes empresas, como a BRF, Nestlé, Unilever, Burger King e McDonald’s já investem em produtos exclusivamente veganos.

Em Roraima, a microempresária Francisca do Nascimento, é uma das pessoas que investiu no negócio de comidas vegetarianas e veganas. Ao perceber uma necessidade em Boa Vista, apostou no mercado consciente.



Mesmo durante a pandemia de Covid-19, seu restaurante especializado em pratos alternativos ganhou um público fiel, contudo, sua iniciativa ainda enfrenta grandes desafios, como o transporte de materiais de origem vegana como salsichas de proteína de soja.




Foto: arquivo pessoal

O nutricionista Jorge Cavalcante explica que é possível levar uma vida tranquila e saudável, desde que, quando necessário, haja a suplementação, para evitar perdas nutricionais.

“Existe toda uma forma de equilíbrio entre as refeições. Em algumas substâncias, há uma biodisponibilidade maior através das carnes, porém, é possível ter acesso a essas substâncias através de outras fontes, como legumes, verduras e fitoterápicos”, destacou.


O nutricionista ainda informa que veganos e vegetarianos podem ser tão saudáveis quanto pessoas com dietas distintas.

“Até mesmo alguns atletas de fisiculturismo seguem dietas vegetarianas e veganas, o que não quer dizer que essas dietas sejam mais saudáveis do que de quem consome carne. O que eu quero dizer é que uma pessoa vegana pode ser tão saudável quanto um carnívoro”, explicou.


De acordo com a pesquisa Ibope em 2018, no Brasil, os veganos já somam 14% da população. Em contraste, o país ocupa o 5º lugar no ranking mundial de maiores consumidores de carne, que é liderado pelos Estados Unidos, Austrália, Argentina e Israel.


A VIDA VEGANA


FOTO: arquivo pessoal

Lais Fernanda Matos é vegana há 5 anos. Após um ano no vegetarianismo, seus ideais falaram mais alto, pensando principalmente na sua saúde, responsabilidade social, ambiental e animal.


Fernanda não usa nada de origem animal, e claro, os cosméticos estão inclusos. Ela é adepta das marcas Vizzela, Sallve e Lola cosmetics, e diz se sentir satisfeita por não precisar renunciar aos seus ideais para conseguir cuidar de si.

“Conhecer marcas brasileiras veganas acessíveis foi excelente para que eu não renunciasse a nada para tornar minha vida mais alinhada aos meus ideais. No próprio mercado nacional, existem marcas que se importam com a vida animal e que estão dispostas a se tornarem alternativas de qualidade para quem busca beleza sem prejudicar outros seres vivos”, destacou.


MARCAS VEGANAS DO BRASIL


De acordo com um relatório da Grand View Research, o mercado global de cosméticos veganos deve atingir 20,8 bilhões de dólares até 2025. E o Brasil não fica para trás quando se trata de sustentabilidade e um mundo mais verde.