• Amazoom

Unesco faz mobilização para marcar Dia Mundial da Liberdade de Imprensa

Dia Mundial da Liberdade de Imprensa é comemorado nesta terça-feira (3).


O Dia mundial da Liberdade de Imprensa foi instituída pela ONU em 1993. Fonte: Abraji


A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), com apoio de organizações da sociedade civil do Brasil, entre elas a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), criou um movimento para dar visibilidade ao Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, celebrado nessa terça-feira (3). O objetivo é chamar atenção para o valor de uma imprensa livre e independente.


Todos os anos a UNESCO escolhe um grande tema para marcar o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa. Em 2022, o foco é “Jornalismo sob cerco digital: a era digital e o impacto na liberdade de expressão, na segurança dos jornalistas, no acesso à informação e na privacidade”.


A campanha espera que veículos digitais, universidades e outras instituições possam montar estratégias próprias para discutir o tema e engajar a sociedade nessas questões. Entre os assuntos sugeridos estão segurança dos profissionais, desinformação, papel das plataformas de internet e sustentabilidade dos meios de comunicação - dos maiores aos independentes.


Marlova Noleto, diretora da Unesco no Brasil, reitera que a data também é um momento para lembrar o respeito à liberdade de expressão, para que "tanto os meios de comunicação, como os cidadãos, possam se expressar livremente, sem sofrerem ameaças, ataques ou qualquer tipo de violência ao apurar os fatos e relatar histórias".


“Precisamos apoiar e defender os profissionais da mídia para que estes não sejam alvos de restrição ou cerceamento de suas atividades”, acrescenta.

No movimento proposto pela Unesco no Brasil, cada parceiro recebe um press kit digital com banners, anúncios e cards para estimular postagens simultâneas. As peças permitirão que cada participante inclua seu logotipo, reforçando a campanha colaborativa.


A Unesco sugere ações específicas, como a realização de debates, coberturas, editoriais, entrevistas, podcasts, webinários e eventos que reflitam a importância da data e o papel da imprensa para a democracia.


Conferência será no Uruguai


A Unesco faz um apelo também para que jornais, estudantes e freelancers façam a cobertura da Conferência anual do Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, que será realizada, de 2 a 5 maio, em Punta Del Este, no Uruguai. Para saber mais, acesse aqui.


Para a Unesco, a informação é um bem público, e a imprensa livre e independente é o seu guardião. No entanto, destaca o texto de divulgação, “o jornalismo profissional nunca esteve tão ameaçado. Cada vez mais profissionais e organizações de notícias sofrem com todo o tipo de violações”.


Quando se refere a um “cerco digital”, a Unesco afirma que "aos ataques, ameaças, prisões e atentados, juntam-se a violência virtual (principalmente contra as mulheres), a vigilância e o hackeamento de dados de jornalistas por parte de atores estatais e não estatais".


"O cenário se completa com a falta de transparência e de responsabilização das empresas de tecnologia, o que contribui para a proliferação de desinformação e discurso de ódio”, complementa o press release enviado aos jornais.


Sobre a data


O Dia Mundial da Liberdade de Imprensa é comemorado no dia 3 de maio. A data foi instituída pela Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU) em 1993. No mesmo dia é também celebrada a assinatura da Declaração de Windhoek, capital da Namíbia, que foi sede de um seminário realizado por jornalistas africanos em 1991. A data celebra a luta pelo direito à liberdade dos profissionais de imprensa de divulgar, investigar e trazer ao conhecimento público informações de forma imparcial e independente.


Fonte: Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji)




4 visualizações0 comentário