• CriativoJota

ELEIÇÕES 2022: "Sociedade que quer evoluir não pode aceitar", dispara Rudson sobre corrupção

Rudson Leite lançou oficialmente a sua pré-candidatura e diz se posicionar totalmente contra a corrupção


Por: André Oliveira, Alexandre Paz, Kallryn Siqueira, Sirlene Tenente


Foto: Arquivo FolhaBV

Rudson Leite (PV), que oficialmente lançou a sua pré-candidatura ao governo de Roraima pelas redes sociais, no dia 16 de junho às 16h, em recente entrevista a acadêmicos de Jornalismo da Universidade Federal de Roraima (UFRR), comentou sobre corrupção no seu Partido e dentro da política e ressaltou: “...é um mal que tem que ser combatido por todos.”


Quando a palavra ‘corrupção’ é mencionada, no imaginário popular, logo é associado à política. Os recorrentes casos de corrupção no cenário político nacional contribuem para isso, fazendo com que a confiança por parte da sociedade em seus representantes caia em descrédito.


O estado de Roraima pouco é citado na cobertura da mídia nacional, a não ser, claro, quando algo ruim acontece e toma proporção. Um exemplo disso, é o “Escândalo dos Gafanhotos” ou “A Praga do Egito” (nome da operação desencadeada pela Polícia Federal que investigou o caso), como ficou conhecido, em 2003, o esquema de corrupção da máquina pública, onde a folha de pagamento estatal era composta por funcionários fantasmas, tal fraude passava por várias Secretarias e políticos altamente influentes. Ainda hoje, quase 20 anos depois, tramitam processos do caso. Uns já foram julgados e condenados e outros aguardam a decisão final da Justiça.Entre os condenados pelo esquema está, o ex-governador de Roraima, Neudo Campos, que comandou o Estado por dois mandatos consecutivos, de 1995 à 2002.


O presidente do Partido Verde em Roraima (PV-RR), Rudson Leite, se posiciona favorável que o acusado de corrupção faça uso da ampla defesa e ao contraditório, pois assim prevê o Art. 5º da Constituição Federal (CF), porém que é algo que deve ser combatido e é uma conduta inadmissível para um representante do povo.



Segundo ele, em seu Partido não se encontra políticos corruptos, pois o PV não compactua com isso, mas, caso haja, de imediato a pessoa corrupta é expulsa.


Em breve pesquisa, foi encontrado reportagens de anos anteriores que trazem políticos do PV, suspeitos de recebimento de propina em diferentes situações, apesar do pré-candidato ao governo de Roraima, Rudson, dizer: “...pode procurar políticos corruptos filiados ao Partido Verde, você não vai encontrar...a gente não compactua com isso.”


Lembrou ainda que durante os quatro meses que ficou como senador, deixou o Projeto de Lei nº 298/2018, que aumenta de 70 para 75 anos o cumprimento de pena em regime fechado para quem comete crime de peculato e improbidade administrativa, pois a partir dos 70 anos, conforme o Art. 65 do Código Penal Brasileiro, o sentenciado recebe atenuante por conta da idade e o juiz pode designar o cumprimento em regime domiciliar ou ainda decidir pela suspensão da execução da pena.


Comentou ainda o PL 314/2018 de sua autoria que sugere o aumento de 8 para 16 nos o período de inelegibilidade para quem é condenado pelos mesmos crimes (peculato e improbidade administrativa). Dessa forma reforça a postura do seu Partido ser contra atos corruptos, e diz: “São projetos que visam castigar aqueles que roubam o dinheiro público.”

34 visualizações0 comentário