• Emily Tenente

PROFESSOR DESENVOLVE PROJETO DE VALORIZAÇÃO DA CULTURA INDÍGENA ATRAVÉS DO ARTESANATO

Por: Emilly Duarte e Emily Tenente

Professor Elton Tenente,- Foto: Emily Tenente

Preservar a cultura indígena é reconhecer a contribuição do índio na formação de diversos aspectos culturais, isso significa que estamos valorizando nossas raízes. Pensando nisso, o professor, coordenador do Centro Regional Indígena e artesão Elton Tenente, do povo Taurepang, fundou em 2016 o “Projeto Sementes das Artes”, uma iniciativa voltada para resgatar e fortalecer a cultura indígena. O projeto é realizado na comunidade Mangueira, município do Amajari.


A ação promove oficinas de produção de artesanatos com sementes regionais,

Foto: Emily Tenente

com pedras, objetos de barros, como panela e outros utensílios do dia a dia. Por meio do artesanato, Elton encontrou uma forma de recuperar e desempenhar os saberes deixados pelos ancestrais indígenas com a população da comunidade e região.


“Há muito tempo eu sentia essa vontade de ter algo voltado à cultura indígena, mas foi em 2016, após o nascimento dos meus filhos gêmeos, que realmente eu construir esse espaço para a produção do artesanato, pois, eu tinha essa preocupação de ter algo que os aproximar-se da cultura e origem do nosso povo”, disse Elton Tenente.


Em 2019, o projeto realizou o primeiro festival “Sementes das Artes”, que reuniu povos Sapará, Macuxi, Wapichana e Taurepang. “Esse evento foi muito importante e bonito, pois ocorreu uma troca de conhecimentos sobre as produções artesanais, comidas típicas, bebidas típicas e esportes indígenas. Infelizmente, com a chegada da pandemia não conseguir realizar essa programação novamente”, explica o professor.


O projeto possui parceria com o Projeto Uyeeserukon – Nossos Costumes, que fortalece ainda mais a iniciativa trabalhando as três línguas (Macuxi, Wapichana e Taurepang) nas oficinas, com o objetivo de restaurar os falantes de suas línguas nativas.


“É muito importante termos uma iniciativa que incentive nossa comunidade a reviver nossa língua e tradições, pois nossos costumes estão se perdendo e ter um espaço de socialização e parceria para o desenvolvimento da nossa arte e cultura é bastante significativo,

Projeto Uyeeserukon- Foto: Emily Tenente

atualmente estamos realizando nosso quarto encontro de línguas com os três povos que tem produzido com êxodo cartilhas de língua indígena que será publicado e distribuídos nas escolas ao final do curso”, explica Ezequiel Barroso do povo Macuxi, coordenador do Projeto Uyeeserukon.



O projeto Sementes das artes desenvolveu uma programação comparticipação do Turismo do SESC, no qual foi criado um modelo chamado Bairro Arte, onde os turistas se encontram com Elton Tenente, o idealizador do projeto, e acompanham o processo de criação do artesanato com barro e sementes. Esse momento é realizado na casa dele,

na comunidade Mangueira, onde ele fala sobre os costumes e cultura do seu povo e o porquê desse projeto ter sido criado.


“Essa passagem de conhecimento para os turistas torna a experiência mais íntima, pois além deles aprenderem a fazerem as peças de artesanatos, eles percebem a importância da valorização da cultura indígena”, relata a Analista de Turismo do SESC Sabrina Viana.