• Rede Amazoom

Pesquisador pede apoio de jornalistas de Roraima em questionário que atualiza perfil do profissional

Pesquisa "Perfil do Jornalista Brasileiro 2021" pode ser preenchida até o dia 30 de setembro


Pesquisa vai identificar perfil do jornalista. Fonte: UFSC/FENAJ

Os jornalistas de Roraima têm até o dia 30 de setembro para participar da pesquisa “Perfil do Jornalista Brasileiro 2021: características sociodemográficas, políticas, de saúde e do trabalho”,


Conforme um dos coordenadores da pesquisa, o professor do Departamento e do Programa de Pós-Graduação em Jornalismo da UFSC (Posjor), Samuel Lima, o questionário tem como objetivo compreender quem são, como trabalham e se organizam jornalistas que atuam na mídia, fora da mídia e em docência, em todas as regiões do país.


Até o momento, mais de 3,5 mil jornalistas responderam à pesquisa. A investigação, iniciada no dia 16 de agosto, vai atualizar o estudo realizado em 2012, que detalhou as características demográficas, políticas e de trabalho desses profissionais.


Apesar do número, o coordenador da pesquisa afirma que ainda é preciso avançar um pouco mais. Diante disso, ele pede apoio para que os profissionais de Roraima respondam ao questionário.


"Estamos precisando de respostas válidas do estado de Roraima para zerar o desvio-padrão e ficar dentro da margem de erro de 2%, de alta confiabilidade", explicou.

Além disso, a segunda edição da pesquisa irá ampliar o levantamento incluindo aspectos como precarização do trabalho, condições laborativas que afetam a saúde e efeitos das inovações tecnológicas.


Articulação interinstitucional


A articulação interinstitucional é considerada um diferencial para os resultados obtidos até o momento. Em 2021, o projeto envolve pesquisadores voluntários de todas as regiões brasileiras, organizados pela Rede de Estudos sobre Trabalho e Identidade dos Jornalistas (RETIJ).


O professor do Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade Federal do Ceará (UFC) e coordenador da RETIJ, Edgard Patrício de Almeida, explica como o trabalho vem sendo feito:


“Essa capilaridade de respostas justifica-se também pelo engajamento da RETIJ, que está presente em todas as regiões do país, com representantes vinculados, por exemplo, a grupos de pesquisa e que fazem essa articulação com os Estados”.

Edgard citou o exemplo do Nordeste, em que o grupo Práxis no Jornalismo (PráxisJor), vinculado à UFC, ficou responsável por fazer os contatos com outras instituições e organizações da região.


“Essa situação, portanto, se replica a outras representações da RETIJ em todo o Brasil. É importante destacar que há, no primeiro momento de divulgação, uma mobilização em massa, indistinta. Mas, à medida que a pesquisa avança, é necessário articular para alcançar determinados nichos que não responderam ou não tiveram ainda acesso ao questionário”, ressaltou.

Apoio:


A pesquisa Perfil do Jornalista Brasileiro 2021 também recebe apoio de nove entidades nacionais da área:


Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ), Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), Associação Brasileira de Imprensa (ABI), Associação Profissão Jornalista (APJor), Associação Nacional de Pesquisadores em Jornalismo (SBPJOR) e a Associação Brasileira de Ensino de Jornalismo (ABEJ).


A Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (INTERCOM) também ofereceu apoio na divulgação e mobilização de respondentes ao questionário.


Fonte: FENAJ, UFSC, AMAZOOM