• Daniela Batista

ELEIÇÕES 2022: Fábio Almeida participa do "Movimento em defesa de Roraima"

Atualizado: 21 de jul.

Aconteceu neste sábado (16) a exposição da Cartografia da violência em Roraima e na Amazônia, em prol das vidas perdidas em meio a conflitos ocorridos na Amazônia


Por: Ana Ribeiro, Antonio Duarte, Aymê Tavares, Carlos Rocha, Daniela Batista e Grazielly Maia.

Reprodução

O pré-candidato ao governo do estado Fábio Almeida (PSol), postou em suas redes sociais um material de divulgação sobre o ato organizado pelo "Movimento em Defesa de Roraima". Conforme Fábio, o ato foi organizado por pessoas que estão buscando a possibilidade de debater sobre o ataque que, tanto as pessoas, quanto o meio ambiente, vêm sofrendo "em torno dessa sanha de lucro existente dentro do estado de Roraima".


Intitulado "Ato de Resistência em Defesa da Amazônia", Conflito de Sangue”, o movimento tem como objetivo gerar debates entre líderes e entidades sobre os conflitos ocorridos em Roraima ao longo dos anos, assim como comemorar os 30 anos de homologação da Terra Indígena dos povos Yanomami.


O pré-candidato tem usado as redes sociais para mobilizar cada vez mais a comunidade, em relação aos "companheiros da Amazônia que tem sofrido um ciclo de agressões ambientais e contra seus povos".


“Muitos e muitas tombaram sob o jugo de um bando de criminosos, os quais dirigem negócios legais ou não, que utilizam da opressão, violência e medo como tática de ocupação de território. Roraima não se encontra isento dessa realidade. Nossos mortos são lembrados e fortalecem a resistência e nossa luta”, publicou.

Em entrevista o pré-candidato comentou que o evento busca promover um debate em torno das violências e dos conflitos que ceifam vidas dentro da Amazônia e no estado de Roraima.


“Então esse ato em defesa da Amazônia “Conflitos de Sangue” vai oportunizar um debate e apresentação de alguns casos emblemáticos, seja do estado de RR, ou da Amazônia, de lideranças sociais e políticas que tiveram suas vidas tiradas pelos conflitos por terra, ou por exploração da terra”, frisou.

A ideia, conforme Fábio, é também apresentar no Ato os locais onde se encontram os pontos de conflitos. O evento foi realizado no sábado (16), a partir das 17h no Espaço Cultural Paricá, que fica em frente ao Shopping do bairro Cauamé, na Rua João de Alencar, em Boa Vista.


* Conteúdo experimental desenvolvido na disciplina de JOR53 - Jornalismo Especializado I.



20 visualizações0 comentário