• anafigueirastar

Cuidados necessários para os pets no verão

Atualizado: há 5 dias

Por: Ana Beatriz Figueira


Fotos: Ana Beatriz Figueira

Nessa época do ano, os cuidados com os pets precisam ser redobrados para que eles não desidratem ou sofram com alguma doença


Com a chegada do verão, buscamos alternativas para diminuir nosso desconforto com as altas temperaturas. Assim como os humanos, os animais, cães e gatos em especial, também sofrem com as ondas de calor, e isso pode causar problemas para os pets.


A bióloga, Joicy Mariano, cuida de 14 gatos. Ela conta que para minimizar os danos causados pelas temperaturas elevadas aos animais, além de espalhar bebedouros de água pela casa, arborizou o jardim, proporcionando um ambiente mais agradável para os bichanos.


“Eu percebi que nesses últimos tempos, que começou o período quente, eles ficam com a boquinha aberta, como um cachorro, como se estivessem cansados por conta do calor e sempre procuram locais mais frios para poder diminuir essa temperatura. Para deixar o ambiente aqui em casa mais tranquilo para eles, eu fiz um jardim com várias plantas, para eles ficarem nas sombras e se sentirem melhor”, afirmou.

Joicy explica ainda que além do jardim, adequou a casa para proporcionar aos animais uma melhor experiência, realizando o processo de gatificação, que tem como objetivo o enriquecimento do ambiente de maneira específica para gatos, criando um espaço repleto de estímulos naturais para os felinos.


“Para minimizar os efeitos desse período eu gatifiquei lá em casa, fornecendo a eles um bem-estar a mais do que eles já tinham. Em alguns locais eu coloquei palhas de coqueiro para eles ficarem embaixo, afinal é mais úmido. Dentro de casa eu também coloquei locais onde eles pudessem brincar, janelas mais abertas para que tenha esse ar sempre fluindo, então o ambiente está sempre propício visando o bem-estar dos meus bebês”, detalhou.


Processo de gatificação feito pela bióloga


A proliferação de parasitas externos como pulgas e carrapatos também gera problemas nessa época do ano. O assistente de recursos humanos, Pedro Campos, é dono de uma cadela e um gato, e contou que seus animais já tiveram problemas com a contaminação desses insetos.

“Como aqui temos um quintal aberto, é mais fácil que eles [os animais] tenham mais contatos com os parasitas e quando dei por mim, a Moana, minha cachorrinha, estava infestada de carrapatos e até mesmo o meu gato tinha pegado os parasitas”, contou.

A fim de livrar-se da infestação de carrapatos, Pedro comprou remédios próprios para o tratamento dos pets e para borrifar no jardim, diminuindo a proliferação dos insetos. “Sei que é algo provisório, os parasitas vão voltar, mas pelo menos, é uma segurança a mais”, disse.


Atenção à saúde dos pets no verão

A exposição aos raios ultravioletas, principalmente quando crônica, pode causar diversas alterações em estruturas da pele e pelos dos pets. O alerta é do médico veterinário Alan Carlos Vasconcelos, que explicou que devido a esse e outros fatores, os animais podem sofrer bastante com o tempo quente.


“Ao ter contato com o chão quente, principalmente cimento, pode haver queimaduras nos coxins [parte mais macia localizada nas extremidades da pata]. Em casos de exposição a calor intenso, o animal pode desenvolver a hipertermia maligna, onde a temperatura corporal pode ultrapassar os 42°C, ceratose actínica, carcinoma de células escamosas, além de diversos problemas de pele”, explicou.

Para identificar se os animais estão passando por algum problema decorrente das altas temperaturas, o veterinário recomendou que os donos de pet prestem atenção a sintomas como esforço para respirar, baixa disposição e alterações físicas.



Ainda segundo Alan, a atenção aos sintomas deve ser redobrada em casos de animais com pelagens brancas ou claras, seja por albinismo, leucismo ou não. Animais muito peludos (como Golden retriever, husky, malamutes e poodles, por exemplo), gordos, com problemas de saúde (hipertireoidismo, problemas de imunidade, problemas de pele pré-existentes, síndrome do braquiocefálico, etc) e animais com histórico de maus-tratos..


Dicas e soluções

Para minimizar o calor e evitar complicações aos pets, o veterinário Alan Vasconcelos também recomendou aumentar a disponibilidade de água para os bichos, evitar que eles passem por situações estressantes, aparar os pelos no caso de animais muito peludos, protegê-los do sol, evitar passeios em horários quentes, dar mais banhos e, caso haja a possibilidade, levá-los para nadar.

Quanto a prevenir a proliferação de parasitas, característica dessa época do ano, o veterinário indicou a limpeza regular dos locais que o pet costuma viver, aplicação de antiparasitários, inspeção da pele e pelos do animal para verificar existência de piolhos, pulgas ou carrapatos.