• Rede Amazoom

Covid-19 em pauta: crianças indígenas e ribeirinhas ganham kit que ensina sobre a lavagem de mãos

Atualizado: Jun 16

Fonte: OIM

Mais de 3 mil crianças no Amazonas e em Roraima receberam a cartilha lúdica. O material foi produzido em parceria com professores indígenas

Cartilha educacional Fonte: OIM

Aprender brincando é o que promete a nova cartilha educacional desenvolvida pela Organização Internacional para as Migrações (OIM) entregue no Amazonas e em Roraima. O material intitulado ‘Cecí, Ana e Dário em: Vamos lavar as mãos e reforçar a prevenção contra à Covid-19’ traz histórias e atividades lúdicas para despertar a conscientização e cuidados preventivos sobre doenças, em especial, a COVID-19.


O kit educacional é composto por lápis grafite e de cores, folder sobre lavagem de mãos e a cartilha, que traz atividades como caça-palavras, labirinto e pintura. As brincadeiras guiam o leitor mirim a aprender como lavar as mãos, em quais momentos lavá-las, além de alertar sobre possíveis sintomas da COVID-19 e como evitar a contaminação.



Na cartilha, os personagens Cecí, Ana e Dário também apresentam às crianças palavras do vocabulário de 8 línguas indígenas: Tukano, Kokama, Tikuna, Sataré Mawé, Baniwa, Nheengatú, Macuxi e Wapichana. Dessa maneira, as crianças poderão aprender a pronúncia e escrita de vocábulos como “sabão” e “água”, que incentivam a lavagem de mãos e criam um vínculo com avós e a população que só se comunica na língua nativa. Para crianças não indígenas, é uma oportunidade de conhecer a diversidade da região. Informações sobre a Língua Brasileira de Sinais (Libras) também foram incluídas.


O conteúdo foi desenvolvido com o apoio do Instituto Insikiran, da Universidade Federal de Roraima (UFRR), Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) e lideranças das comunidades indígenas para que fosse adaptado culturalmente.


“Chegamos a comunidade Parque das Tribos, região de Manaus, com uma proposta que foi sendo adaptada com o apoio dos moradores, que davam sugestões sobre todo o processo criativo da história e dos personagens, avaliando o que era mais significativo para eles”, informa a assistente de projeto da OIM responsável pelo desenvolvimento da cartilha, Mariana Camargo.



A professora indígena Claudia Baré, educadora na comunidade Parque das Tribos, que participou do processo, destaca que a inclusão da comunidade é essencial para trazer representatividade indígena. “É sempre importante quando as organizações abrem essa porta para a gente. É a nossa fala, a nossa língua, tem alguns grafismos na cartilha que são símbolos da nossa cultura”, comenta a professora.


A estratégia do material foca ainda em disseminar a informação das crianças para as suas famílias. “Crianças são mobilizadoras para a educação, então quando conseguimos levar essa informação para compreensão e prática do dia a dia delas, elas acabam incentivando suas famílias também”, informa a coordenadora de Atenção Direta da OIM, Clara Seguro.


Em Roraima, o material será entregue nos municípios de Caracaraí, Rorainópolis e comunidade indígenas de Bonfim, beneficiando mais de 1.500 crianças. No Amazonas, as cartilhas serão distribuídas em mais de 26 comunidades indígenas e não indígenas urbanas e ribeirinhas, estimando-se atender cerca de 1.600 crianças.


Essa atividade conta com o apoio financeiro da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID).



23 visualizações0 comentário