• caiquemateusrs

Casal celebra 26 anos desde que se conheceu em época de arraial: 'surgiu o amor verdadeiro'

Amarildo e Elisangela Sombra se conheceram através de ensaios de quadrilha junina e permanecem juntos.


Por: Ruan Carneiro



Foto: Arquivo Pessoal


Junho é conhecido por todos como uma época de festividades juninas, a famosa época de arraial e não é novidade que essa época também traz as tradicionais apresentações das quadrilhas juninas. Foi em meio aos ensaios da quadrilha junina Zé Monteirão que o casal Amarildo, à época com 15 anos e Elisângela com 13, se conheceram em seu primeiro ano.


“Eu conheci minha esposa dançando quadrilha, foi uma casualidade. No primeiro ano da Zé Monteirão, eu tinha um par e ela tinha um cavalheiro e houve uma reformulação nos pares e pela casualidade nós começamos a dançar e rolou uma química”


Essa ligação forte entre os casais que dançam é muito comum no mundo junino, antes de subirem no tablado, são seis meses de preparação e convívio como parceiros de dança.


“As quadrilhas juninas envolvem dança, uma interação entre o casal, onde pode despertar o desejo, o libido e consequente a paixão, pelo envolvimento é fatal, quase de regra o surgimento de um amor verdadeiro”.


Não somente a dança, mas também a música e coreografias fazem com que essa conexão se torne mais forte, é preciso passar para o público a energia e expressar o amor que eles dividem em comum, que é o amor pelo São João.


Namoro de outra época



Foto: Divulgação/PMBV


Com o tempo o casal se aproximou aos poucos e viveram bastante coisas juntos antes de concretizarem a relação. Mas naquela época o namoro era bem diferente. Amarildo e Elisangela estão casados há exatos 26 anos, e relatam que olhando para trás e comparando com hoje, o namoro e as relações são bem diferentes.


“Não é como hoje. aquele namorinho de pegar na mão, desejar o primeiro beijo, foi tão interessante que foi na boleia de um caminhão, numa noite de lua cheia, pra você ver, era mais que inocência”


Mesmo com a forte ligação, na época os pais de Elisangela não deixaram a filha namorar com Amarildo, por ser jovem demais, mas mesmo depois do período junino os dois ainda mantiveram o contato, morando um próximo ao outro e mantendo ligações com frequência.


Após alguns anos, a quadrilha os uniu de volta, Elisangela passou um tempo sem dançar no arraial mas retornou para os ensaios, fazendo com que os dois retornassem a serem parceiros de dança e a partir dali, os dois firmaram a relação como namorados.


Hoje, o casal construiu uma família. Atualmente são dois filhos, todos nascidos em épocas de arraial e contanto com a comemoração da mesma forma.


“Nós temos um casal de filhos, tanto nossa filha como nosso filho nasceram e, junho então o aniversário dela foi um arraial e a quadrilha dançou, no aniversário dele de um aninho foi um arraial e a quadrilha também dançou, tava tudo envolvido não tinha como fugir disso”


De lá para cá, são 36 anos de convivência mútua vivida pelos dois, tudo isso em cima do arraial e do movimento junino e até hoje o casal se mantém presente na quadrilha em que foi firmada essa relação. Amarildo atualmente faz parte da coordenação e atua como padre, casando o casal de noivos que é o símbolo de amor e motivação para essa festividade.

24 visualizações0 comentário