• Agata Macedo

Avanços e dificuldades no cenário dos eSports em Boa Vista.

Atualizado: 4 de out. de 2021

O cenário dos eSports vem crescendo consideravelmente no Brasil e no mundo, trata-se de competições de jogos eletrônicos que possuem atletas profissionais e reúne atualmente milhões de espectadores. Por causa da pandemia, as competições em grande parte têm sido feitas de forma online, tendo apenas algumas etapas presenciais.


O cenário de eSports conta com competições de vários jogos, como Counter Strike: Global Offensive (CS:GO), Fortnite, Dota 2, Free Fire, League of Legends (LOL), entre muitos outros. A principal competição do eSports no Brasil é a CBLol, ficando à frente do CLUTCH Circuit de CS:GO e da LBFF do free fire.


Atualmente a maior organização de eSports do Brasil é a Loud, com mais de 25 milhões de seguidores em suas redes sociais e 1 bilhão de views no Youtube. Em seguida vem a organização Los Grandes com mais de 8 milhões de seguidores e em terceiro Corinthians e-Sports com mais de 5 milhões.



(Imagem retirada da web)


Em Boa Vista o cenário dos eSports também tem tido um avanço, com atletas locais participando de campeonatos nacionais, chegando a finais e integrando grandes organizações de eSports, apesar da internet instável do estado.

Em abril, atletas da Universidade Estadual de Roraima (UERR) ficaram em 4º lugar na modalidade Free Fire nos Jogos Universitários Brasileiros (JUBs). As fases qualificatórias e eliminatórias ocorreram de forma online, já a semifinal e a final foram presenciais em Brasília.

O time era formado pelos estudantes do 3º semestre de Bacharelado em Educação física, Lucas Forte (LUC4S STRONG), João Roberts (ROBERTS), Francisco Eliakim Mineiro (KIM7) e Yan Almeida (YAN7).


(FOTO: Arquivo pessoal disponibilizado pelo atleta Lucas Forte)


O atleta Luc4s Strong contou um pouco sobre sua trajetória no jogo, como o time iniciou e como eram os treinos. Luc4s começou a jogar Free Fire em 2017 quando um amigo indicou o jogo à ele, inicialmente jogava por diversão, mas participar de um campeonato se tornou um sonho. Segundo Strong, os integrantes se conheceram durante as aulas presenciais na faculdade e já começaram a jogar juntos, até que no início do ano, o atleta Francisco Eliakim os convidou para formarem o time.


Luc4s conta que não foi fácil parte da jornada até a final, “Foi muito difícil, no modo Battle Royale as outras equipes jogavam de forma mais recuada, o que atrapalhava muito a gente a impor o nosso jogo. Tiveram 2 fases nesse modo, se classificavam 16 equipes para o modo 4x4, modo qual seria jogado em Brasília na final. Nós nos classificamos em 15° lugar, sofrido, mas foi, quando foi no modo 4x4 a gente encaixou bem o nosso jogo, e ganhamos de 2x1 o primeiro jogo, e de 2x1 também o segundo jogo contra a Universidade Federal do Acre, e assim, nos classificamos para etapa presencial em Brasília”.


Houve um processo burocrático com documentos e exames, mas de acordo com o atleta o time recebeu total apoio da Presidente da Federação Universitária de Esportes de Roraima (FUER), Elaine Morellato. Além da Confederação Brasileira do Desporto Universitário (CBDU) , com os testes de covid, hotel e todo apoio que era preciso.

O atleta acredita que o cenário pode crescer mais ainda em Boa Vista, “Tem muitas empresas entrando com apoio forte, tem muitos jogadores bons que ainda são desconhecidos, tem a Wild e a Caburaí que são times que eu vejo muito nas redes sociais, participando e realizando eventos. O Free Fire tem tudo pra evoluir em Roraima”, acrescenta.


Ele finaliza dizendo que pretende continuar no cenário e mais forte ainda, com mais experiência para levar Roraima para o topo. O atleta também já foi campeão fora do estado em campeonatos que não são do meio universitário, disse que pretende voltar à ativa e ser campeão novamente.

(FOTO: Arquivo pessoal disponibilizado pelo atleta Lucas

Forte)


INTERNET INSTÁVEL DE BOA VISTA É UMA DAS DIFICULDADES ENCONTRADAS PELOS STREAMERS


Os jogadores de eSports precisam de uma boa conexão de internet para jogar online, sabemos que a internet de Boa Vista tem sido falha, tendo a fibra rompida algumas vezes. Enoque Mesquista, conhecido como SHINN, é streamer desde 2018, joga Dota 2 e integra o time Real Deal e-Sports. Inicialmente jogava apenas por diversão, mas em 2020 a stream se tornou um trabalho e passou a fazer parte da sua renda e sustento.


Shinn conta que sua inspiração foi um jogador Ucraniano chamado Dendi, depois de assistir ao filme do jogador “Dota 2 Free to play” em 2013, decidiu que queria trabalhar com algo relacionado a games.


O streamer conta que em 2016 havia mais campeonatos e isso estimulava os jogadores, mas por falta de investimento e agora com a pandemia esses campeonatos são raros, mas ainda existem pessoas que querem se profissionalizar e obter resultados. Uma das maiores dificuldades que o streamer tem é a internet de má qualidade, “Ser streamer em Boa Vista é muito complicado, pois a internet não é constante. Para você ser um streamer, você não precisa ter a melhor internet do mundo, basta uma internet que seja constante em algum horário, eu encontrei isso apenas na madrugada e ainda sim, algumas vezes tinha certos problemas de conexão, o que torna mais difícil trabalhar, mas por muito tempo conseguir levar o trabalho para frente”, diz.


O atleta ainda conta da vez em que ia jogar uma qualificatória para o CBDOTA (Campeonato Brasileiro de Dota 2) e faltou energia na cidade, quando a energia voltou, sua internet caiu. Ele teve que ir até a casa de um amigo para conseguir participar da competição e o time venceu de de 4 contra 5. “Em resumo, eu cheguei e consegui jogar os próximos jogos da casa dele, nós vencemos uma competição entre 500 times no Brasil inteiro e conseguimos classificar, esse dia me marcou porque consegui vencer mesmo com todos esses problemas.”, comenta.


Enoque acredita que existem jogos mais desenvolvidos no país como o CS-GO e o League of Legends. O dota 2 ainda é pouco desenvolvido no Brasil, mesmo sendo uma potência dentro dos eSports.


Shinn estava fora do competitivo, mas atualmente está jogando dois campeonatos, a Copa Dota 2 Brasil e o campeonato da organização Dota 2 experience, em que ele está na final.

Link do campeonato: https://booyah.live/d2xpbrazil?source=33


(Foto: Arquivo pessoal disponibilizado pelo streamer/

atleta Shinn)


Um momento que vale ser mencionado da carreira de Shinn foi quando o streamer foi gankado pelo jogador de CS:GO, FalleN. Shinn, que acompanha a trajetória do jogador e o tem como referência ficou feliz quando isso aconteceu, “Na hora eu senti muito orgulho, a única coisa que eu conseguia pensar era o quanto ele é um cara humilde. Assistindo o (episódio) flow dele tudo se encaixa e faz sentido, nas mínimas ações ele (Gabriel Toledo) prova isso, então eu estava em êxtase por ter recebido o gank”, finaliza.

Momento do Gank disponível em: https://clips.twitch.tv/GorgeousColdbloodedStapleMau5-XiLJGPmUWFIh_j_z


JOGADORES DE CS:GO FORMAM TIME DE ESPORTS EM BOA VISTA


Um dos exemplos de avanço dos eSports em Boa Vista, é o surgimento de novos streamers, jogadores que são conhecidos nacionalmente e até mesmo de times. Para falar mais sobre este momento, conversamos com Pedro Paulo Cordeiro, atleta e streamer da organização de eSports eletrônicos ExaltaToma.



Por meio de vídeo, Pedro Paulo contou um pouco sobre o início do ExaltaToma, organização boa-vistense criada em 2019. Também relatou um pouco as dificuldades de prosperar neste atual cenário em que vivemos.




Pedro, integrante do ExaltaToma (Foto: Arquivo Pessoal)



(Vídeo: Arquivo pessoal)


O ExaltaToma está presente nas redes sociais e pode ser encontrado no Twitter e Instagram.


JOGADORES DO ESTADO QUE SÃO REFERÊNCIAS NO CENÁRIO


O game, Counter Strike: Global Offensive (CS:GO) foi lançado em 2012, porém até hoje conta com milhares de players em seus servidores e com competições com premiações milionárias.

O modo competitivo do CS:GO consiste em duas equipes: Terroristas e Contra Terroristas. Onde basicamente os terroristas precisam plantar a bomba e os contra-terroristas precisam evitar ou desarmar.



O jogador profissional de Counter Strike, Marcos “idekaa” Kayke, falou um pouco sobre sua trajetória dentro do game, contou sobre suas conquistas e também uma breve análise do que é necessário para a popularização dos eSports em Boa Vista.


“Eu comecei a jogar no ano de 2017. O motivo foi que estava me estressando muito jogando Dota 2, foi quando decidi conhecer novos jogos e logo de cara gostei muito do CS:GO. A partir desse momento, começou a paixão pelo jogo que me dedico até hoje."

(Foto de Marcos Kayke, via Instagram)


Idekaa, como é conhecido no jogo, acumula conquistas no jogo, sendo elas;

  • Presencialmente, em jogo disputado em Lan House, foi campeão da 1º Copa Alpha.

  • Online, disputando com jogadores de todo o Brasil, o jogador foi; Campeão da Balada GamersClub

  • Campeão da TBOW (The Best of Week)

  • Três vezes campeão da Copa Gamerscard

  • Campeão da Battle 5x5, organizado por um dos maiores sites de notícias sobre CS:GO do Brasil, o Draft5.

  • Idekaa ainda foi duas vezes o melhor jogador do mês da Ranked Pro na GamersClub. Este é o nível mais alto que um player pode atingir dentre todos os jogadores da plataforma. O mesmo ainda foi outras duas vezes Top 2 deste ranking.


Em Boa Vista, os eSports ainda não são considerados uma prioridade do público, e quando foi perguntado sobre o que faltava para o maior desenvolvimento na capital. Marcos diz que falta divulgação do cenário e que deveria haver mais campeonatos, mesmo que amadores, "Muita gente, principalmente os mais velhos, acham que é só um jogo, mas talvez se entendessem a magnitude dos eSports, buscariam patrocinar esses campeonatos e às vezes até um jogador para disputar campeonatos fora do estado" desabafa.


(Idekaa e piriajr no ano de 2018. Foto de Alpha Arena, via Instagram)


Guilherme “piriajr” Barbosa, atualmente jogador do time de base de uma das maiores organizações do Brasil, a FURIA, é orgulho da capital.


Piriajr tem passagem pelos times do Santos, Falkol, Vivo Keyd, Detona, Imperial e atualmente FURIA Academy.


Com apenas 18 anos, Guilherme conquistou seu primeiro MVP na DreamHack Open March 2021 - South America. Ele foi responsável por uma regularidade incrível durante todo o campeonato, onde no fim se sagrou campeão na vitória por 3x1 contra os argentinos da Sharks.

(Piriajr segurando a medalha de MVP. (Foto de Guilherme Barbosa, via Instagram)

Durante a produção desta matéria, piriajr está na Ucrânia, país onde vai disputar a We Play Academy League Season 2.

(Foto de FURIA, via Instagram)


Os números de pessoas que acompanham os eSports tem crescido no mundo todo e a expectativa é que o cenário cresça no estado e que haja valorização, reconhecimento e apoio aos atletas de Boa Vista.



*Por Ágata Macedo e Álvaro Joséh.




51 visualizações0 comentário